Postura

5 cuidados com a postura que toda dançarina precisa ter

São inegáveis os benefícios que a dança traz para o corpo: melhora a musculatura, a coordenação motora, a flexibilidade e o equilíbrio. Mas é a postura correta que mais ganha com a prática.

Só que ela não surge assim, de graça, de uma hora para a outra. São necessários alguns cuidados com a postura, até mesmo fora das aulas, para evitar lesões e problemas sérios na coluna.

Confira as cinco dicas que vamos dar para garantir uma postura adequada.

1. Tenha alguns cuidados com a postura quando não estiver dançando

Uma postura correta é essencial para a performance de qualquer dançarina, mas não é só nos treinos e ensaios que ela é importante. Muitas vezes acabamos nos descuidando no dia a dia, mas é nesses momentos que ela é mais necessária.

Quando estiver sentada, por exemplo, o tronco corre o risco de ficar fora da linha correta. Também é importante ter esse cuidado na hora de dormir. Por isso, invista em colchões e travesseiros de qualidade: eles farão toda a diferença. E evite ao máximo dormir de bruços para não forçar demais a curvatura lombar.

Lembre-se: preste atenção sempre que possível e não esqueça de corrigir quando perceber.

2. Evite movimentos forçados em caso de dor

A paixão pela dança muitas vezes nos leva a fazer sacrifícios. Mas, se estiver sentindo alguma dor, é melhor não forçar os movimentos, por mais que queira continuar com a aula.

É muito importante respeitar os limites do seu corpo, pois a insistência no treino em casos como esse pode acarretar lesões sérias em diversos lugares do corpo, como tornozelos, coluna, joelhos e quadril.

Na dúvida, pare o exercício e não force. E não esqueça de consultar um médico o mais rápido possível.

3. Execute os movimentos com precisão

Para que as lesões mencionadas no tópico anterior não aconteçam, é interessante atentar para a execução correta dos movimentos da dança.

Embora você não perceba, a execução e a repetição de passos errados, sem o encaixe correto dos membros e das articulações, pode acarretar no desenvolvimento de desvios posturais. A escoliose é uma dessas doenças que, quando não corrigida a tempo, pode causar dores muito fortes e defeitos permanentes.

Neste caso, uma boa dica é desenvolver o que chamamos de consciência corporal, ou seja, aprender a reconhecer a localização espacial e o movimento que cada um de seus membros fazem. Pode parecer difícil, mas é um elemento fundamental para a melhora da postura na dança, além de potencializar benefícios e até mesmo a parte estética da atividade.

4. Procure um médico caso sinta dores frequentes

Por mais que você seja atenta aos movimentos, caso sinta alguma dor com frequência, não deixe de consultar um médico. Esse tipo de incômodo pode significar uma gama de problemas, dos mais simples aos mais sérios.

Quanto antes a causa for detectada, melhor. Isso porque as dores não comprometem somente sua performance como dançarina, mas também sua saúde. Por isso, mantenha sempre um bom acompanhamento profissional, combinado?

5. Capriche nos alongamentos

Por último, mas não menos importante, precisamos falar um pouco sobre os alongamentos e sua contribuição para a postura correta. Ao se alongar com frequência, antes e depois das atividades, a musculatura é fortalecida e as lesões são evitadas seja nos ensaios ou nas apresentações.

Além disso, não há receita melhor para a flexibilidade do que um bom alongamento e sempre feito com qualidade e tempo.

Os cuidados com a postura são fundamentais para o bom desempenho e a boa saúde de qualquer dançarina. Portanto, coloque essas dicas simples em prática e não deixe de assinar nossa newsletter para ficar sempre informada sobre o universo da dança!

Descubra aqui o surgimento e a história do pilates

O pilates é um método de atividade física que ganhou muita popularidade nos últimos anos. Entretanto, a história do pilates teve início ainda em 1880, com o nascimento do seu idealizador e precursor, Joseph Pilates. Continue a leitura e conheça grandes curiosidades sobre essa famosa técnica:

A história do pilates

Joseph Pilates, o homem que deu nome ao pilates, nasceu em uma pequena cidade da Alemanha. Não existe um consenso sobre o seu ano de nascimento, mas acredita-se que tenha sido entre 1880 e 1883.

Filho de pai ginasta e de mãe naturopata, a sua infância foi marcada por doenças como asma, raquitismo e febre reumática. Joseph sempre buscou melhorar a sua condição física por meio de exercícios e de hábitos saudáveis.

Apesar de ter sido uma criança muito frágil, aos 14 anos Joseph Pilates já apresentava uma excelente forma física, sendo convidado a posar para um atlas de anatomia.

O seu objetivo era encontrar o equilíbrio entre corpo e mente. Para isso, passou a estudar ioga, acrobacia, anatomia, ginástica olímpica e medicina tradicional chinesa. Todas essas atividades influenciaram a técnica de pilates que conhecemos hoje.

O surgimento dos equipamentos de pilates

Em 1912, Joseph mudou-se para a Inglaterra. 2 anos depois, durante a I Guerra Mundial, ele foi exilado e passou a trabalhar em um hospital que atendia feridos e mutilados, na Ilha de Man.

As condições do local eram precárias. No entanto, Joseph Pilates ensinava uma série de exercícios físicos e de respiração para os seus companheiros de exílio, incentivando a manutenção da saúde física e mental.

Além disso, Joseph buscou estimular a reabilitação e inclusão de mutilados e de pacientes acamados por meio da adaptação de algumas das suas atividades. O estudioso retirava as molas dos colchões e as utilizava para fazer aparelhos de exercícios nas camas. Assim, surgiu a ideia dos primeiros aparelhos de pilates.

Com o fim da guerra, Joseph voltou à Alemanha, onde pode aprimorar os seus estudos.

A evolução do pilates

Em 1926, Joseph Pilates emigrou para os Estados Unidos. Durante a viagem de navio, ele conheceu a enfermeira Anna Clara Zuener, que viria a ser a sua esposa. Juntos, eles criaram um estúdio na Oitava Avenida, em Nova York. O local era frequentado por grandes bailarinos e atores, o que ajudou a popularizar a prática das atividades idealizadas por Pilates.

Durante os anos 1930 e 1940, Joseph publicou 2 livros: Your Health — A Corrective System of Exercising that Revolutionizes the Entire Field of Physical Education e Return to Life Through Contrology. Além disso, ele e Anna Clara passavam os seus conhecimentos para alunos interessados na técnica.

Com a morte de Joseph Pilates, em 1967, sua esposa passou a administrar o estúdio. Posteriormente, a antiga aluna Romana Kryzanowska assumiu o local. Outros alunos, como o dançarino Ron Fletcher, abriram os seus próprios estúdios, levando o pilates a diversos locais do mundo.

Os benefícios do pilates para o corpo

O pilates pode ser um excelente aliado da dança. Conheça alguns dos seus benefícios:

  • aumenta a flexibilidade;
  • melhora a resistência física;
  • promove o relaxamento e o bem-estar
  • otimiza a concentração e a coordenação motora;
  • ajuda a corrigir a postura e a respiração;
  • fortalece a musculatura;
  • aumenta a consciência corporal.

Agora que você já conhece a história do pilates e todos os benefícios que essa prática pode proporcionar para o seu corpo, que tal aderir à atividade? Aproveite para compartilhar este artigo nas suas redes sociais.

7 motivos para eleger o Ballet como sua atividade física favorita

A atividade física é essencial para todos que desejam ter uma boa qualidade de vida. Ela é capaz de melhorar a estética corporal e a autoestima, diminuir sintomas da depressão, aumentar a capacidade de se socializar com a família e amigos, prevenir doenças como a diabetes e o câncer e evitar a obesidade.

Que o ballet é um tipo de dança nós já sabemos. Mas ele vai além da sua essência central, que é a arte, sendo considerado, também, uma atividade física, podendo ser até mais completo que a natação em relação aos benefícios.

Quer conferir alguns bons motivos para você iniciar no ballet? Então, continue a leitura!

1. Flexibilidade corporal

Os exercícios do ballet exigem grande amplitude nos movimentos. Por esse motivo, a dança acaba por trabalhar e alongar os músculos. Isso evita que eles se “encurtem”, o que diminui o risco de lesões musculares.

2. Postura

O ballet trabalha bem as regiões do abdômen, das costas e do peito. Esses músculos estão sempre contraídos e alinhados durante a atividade, o que proporciona um maior equilíbrio corporal e uma postura sempre correta, inclusive fora do palco.

3. Respiração

A eficácia do sistema respiratório é outra vantagem ao se praticar ballet. Os exercícios são baseados em saltos e movimentos de sustentação, que possibilitam o máximo proveito do diafragma durante a respiração. Haja fôlego!

4. Bem-estar

O ballet é praticado ao som clássico, que é calmo e elegante. É uma das poucas atividades físicas que trabalham em conjunto com a música. Esse fato faz com que o corpo libere endorfina, que, por consequência, causa uma boa sensação, bom humor e uma autoestima elevada.

5. Desenvolvimento muscular

Se engana quem acha que praticar ballet não cansa. A dança consiste em movimentos sutis e suaves, que aos olhos de quem apenas observa parece uma ação fisicamente não desafiadora.

Devido a essas características, os músculos do dançarino passam constantemente por períodos de força e resistência. Além disso, a atividade é executada como se realmente não houvesse esforço, o que possibilita um crescimento muscular razoavelmente bom.

6. Definição abdominal

O ballet queima calorias por ser uma atividade que exige uma boa dose de esforço físico. Há exercícios que trabalham bem o abdômen, além de ele estar constantemente contraído durante a dança. Tudo isso favorece a queima de gordura e a definição corporal de modo geral.

7. Coordenação motora

Praticar ballet é uma atividade sempre desafiadora. Os movimentos são variados e vão desde o básico até os mais avançados. O bailarino sempre está evoluindo e isso exige de sua parte agilidade e coordenação motora apurada, que são desenvolvidas ao longo da sua jornada.

O praticante também aumenta sua capacidade de concentração, controle mental, disciplina e consciência corporal, já que, durante os exercícios, é possível sentir cada região muscular que está sendo trabalhada.

Embora muitas pessoas associem o ballet com as crianças, a dança pode ser praticada sem problema algum por adolescentes e adultos. Devido aos benefícios citados, como o trabalho e movimentação do corpo como um todo, é, inclusive, encorajado que você pratique essa atividade física.

E você, se interessou por ballet ou gosta de ter a dança como parte da sua vida? Nos acompanhe no Facebook e Instagram para ficar por dentro das novidades do mundo da dança.

Loja – Evidence Ballet 

 

7 cuidados para manter um corpo de bailarina maravilhoso

Muitas mulheres se preocupam em ter um corpo mais bonito. Algumas buscam emagrecimento, outras a definição dos músculos; já outras querem valorizar partes do corpo. Dançar pode ser uma ótima maneira de alcançar estes objetivos, pois toda bailarina possui um corpo perfeito!

Se você imaginar uma bailarina dançando, certamente, terá imaginado um corpo leve, suave e delicado. Mas para ter um corpo devidamente equilibrado, bem distribuído e conseguir a leveza necessária para dançar, é preciso muita dedicação e alguns cuidados. Veja no texto de hoje como manter um corpo de bailarina:

Alimentação

Para dançar é necessário leveza e o ponto principal para ter um corpo de bailarina é ter cuidado com a alimentação. Dançar com o peso acima do normal não será nada fácil. Procure um nutricionista para obter uma dieta saudável e equilibrada. Dê importância à proteína para fortalecer músculos e ingira carboidratos antes das aulas, para dar energia ao seu corpo. Evite chocolates e alimentos que retenham líquido, pois causam inchaços indesejáveis!

Cremes

Flexibilidade e elasticidade são pontos muito importantes para um corpo de bailarina. É muito importante que a pele esteja sempre hidratada para evitar que marcas como celulite e estrias apareçam ou fiquem evidenciadas. Lembrando-se da importância também de evitar doces, frituras e refrigerantes, os quais ajudam na formação de celulites e estrias.

Hidratação

Hidrate-se sempre. Beba bastante líquido. Uma boa dica para não retê-lo é usar e abusar do chá verde por ser diurético. Substituir o refrigerante por água saborizada pode ser uma ótima maneira de manter-se sempre hidratada com um gostinho especial!

Massa magra e proteína

Toda bailarina precisa manter a massa magra forte, pois é preciso ter sustentação e força nos músculos para movimentar o corpo. Por isso, não se esqueça de incluir a proteína em sua dieta, para ter músculos fortes e preparados, que aguentem o seu peso, caso contrário as lesões serão inevitáveis.

Alongamento

Uma ótima dica é preferir praticar a ioga e o pilates para manter a musculatura forte e evitar lesões, do que optar pela musculação. Pilates e ioga são atividades que além de fortalecerem os músculos, trabalham a flexibilidade e o alongamento de todo o corpo, de maneira mais suave.

Postura

A postura é essencial para bailarina. É necessário ter alguns cuidados que parecem simples, mas que se não forem tomados, podem causar encurtamentos que serão difíceis de serem revertidos. Um bom exemplo é lembrar-se da postura quando estiver sentada, manter o tronco ereto, ombros para fora e abdômen sempre contido!

Definição

O corpo de bailarina definido é conquistado com muito (literalmente) suor. Requer muita dedicação em uma dieta balanceada, somada a dedicação de treinos diários e ensaios semanais. A repetição de movimentos propicia maior definição do corpo. Bailarinas movimentam o corpo todo durante a dança, não pense que elas possuem somente as pernas definidas, o abdômen também merece destaque, assim como os braços e as costas.

Cabelos

Geralmente presos nos coques, os cabelos merecem um cuidado especial, e com o uso constante de gel, grampos e redinhas, uma ótima dica é fazer uma hidratação semanal nos cabelos, evitando que eles fiquem ressecados ou quebradiços.

Símbolo de leveza e delicadeza, ser bailarina é uma tarefa árdua, que exige disciplina, foco e determinação. Existem muitos cuidados a serem tomados, pois elas precisam estar maravilhosas em cima do palco, e fora deles também! E você, conhece algum cuidado para manter um corpo de bailarina maravilhoso? Deixe seu comentário!