Moda

Conheça os principais tecidos para collant de ballet

Conheça os principais tecidos para collant de ballet

O ballet é tão encantador porque, entre outras coisas, exige a harmonia de vários fatores para formar um espetáculo especial. A roupa, por exemplo, certamente está na lista de aspectos mais importantes para uma dançarina que se preze, não é verdade?

Hoje em dia, encontramos diversos tecidos para collant de ballet, e a escolha do melhor passa por questões como material, modelo e cor. Além disso, a peça precisa garantir o conforto necessário para a execução plena dos movimentos, apresentando ainda durabilidade e beleza.

Ficar em dúvida a respeito do tecido ideal é normal. Portanto, ao longo do texto, trouxemos para você as mais interessantes dicas envolvendo o collant de ballet. Continue conosco e faça uma boa leitura!

Quais os tecidos estão em alta?

O tecido da peça deve ser moldado ao corpo e ter a beleza complementar à figura da dançarina. Flexibilidade e elasticidade também consistem em características fundamentais para um bom collant. Abaixo, estão os tecidos mais usados e eficientes hoje em dia.

Helanca

Lembra daquelas bermudas de uniforme escolar infantil? Pois bem, boa parte costuma ser feita de helanca, um tecido marcado pela elasticidade. Collants desse material apresentam maior grossura em relação a outros modelos e são excelentes opções para crianças.

Sem tanta maleabilidade, porém, collants de helanca podem não se ajustar tão bem ao corpo feminino adulto. A grande vantagem está no preço, consideravelmente mais baratos quando comparado com a média de tecidos diferentes. No começo da prática do ballet, trata-se de um ótimo investimento.

Amni

Com mais leveza e facilidade na confecção, o tecido Amni proporciona a produção de modelos modernos e únicos para o ballet. Além disso, o ”Amni Soul Eco”, nome técnico original, ganhou força pelo papel ecológico que desempenha.

A poliamida biodegradável desaparece do meio ambiente cerca de 50 anos mais rápido em comparação a tecidos tradicionais. Suas características a tornam excelente alternativa para os segmentos fitness e beachwear, e o ballet se encaixa nesse padrão.

Apesar de apresentar as mesmas qualidades do fio comum, o Amni passa pelo processo de biodegradação em cerca de três anos, e antes disso pode ser bastante valioso para quem pratica a dança.

Como a escolha influencia a prática?

O bem-estar pessoal é o principal fator que deve ditar a preferência de cada bailarina. Não dá para negar, porém, que a definição do melhor entre os tecidos para collant de ballet impacta a flexibilidade, a mobilidade e a beleza da atividade.

Um bom modelo precisa se caracterizar pelo ajuste correto ao corpo, o que sempre varia de pessoa para pessoa. Assim, considere as suas peculiaridades e as coloque na balança com outros aspectos importantes para definir a alternativa adequada.

Conforme observamos durante o post, os tecidos para collant de ballet têm características marcantes e devem apresentar harmonia com a cor e o estilo da peça. Só uma bailarina confortável consegue desempenhar todas as ações que tornam essa dança tão especial e única!

Se gostou do conteúdo do texto, aproveite a visita ao blog e confira as opções de produtos da Evidence!

Cápsula 3, nova coleção da Evidence, traz produtos voltados ao público masculino

Dança, carreira e moda sob o olhar masculino

Bailarino Uátila Coutinho explica como é o mundo e o mercado da dança para eles

Foi-se o tempo em que o dançar era “coisa de menina”. Desde a dança de salão até o próprio ballet, hoje muitos rapazes se interessam pela arte. Sim, preconceito existe. Mas, pouco a pouco, os homens vêm conquistando seus espaços e investindo na carreira de dança.

Essa análise é feita pelo bailarino Uátila Coutinho, que hoje representa o Balé da Cidade de São Paulo. “Comecei minha carreira na dança em 2008 e não escapei do preconceito de amigos na escola. Infelizmente muitas pessoas ainda relacionam a questão da dança à sexualidade”, explica o bailarino. E não é apenas com esse tipo de dificuldade que Uátila tem que lidar. O dançarino conta que a profissão de bailarino não atinge o seu devido reconhecimento, seja para homens ou para mulheres. “As pessoas confundem a dança profissional com hobby”, lembra. “É importante ressaltar que a dança está dentro do guarda-chuva das artes. Isso significa que tem um lugar importante dentro do currículo escolar e na formação de um indivíduo”, explica Uátila.

A sociedade, em geral pode até não considerar ainda essa arte uma profissão, mas o mercado da moda, sim. Tanto que já estão direcionando seus esforços para atender os bailarinos. Rose Prock, diretora da Evidence Ballet admite ter percebido uma mudança no comportamento masculino em relação à dança. “Sempre observamos o balé masculino com muita atenção e produzimos peças para os rapazes. No entanto, foi percebido nos últimos anos um aumento significativo na demanda por produtos específicos para esse público”, afirma.

No que se refere a artigos de dança, algumas peças da composição masculina se assemelhem ao figurino feminino. É o caso da sapatilha, por exemplo. Uátila Coutinho explica que as diferenças precisam ser levadas em consideração. “As sapatilhas podem até ser parecidas, mas o pé do homem é mais largo e isso influencia no modelo do calçado”. Em sintonia com as tendências para o setor, a estilista da Evidence Ballet, Lilian Marrul, também orienta sobre os produtos da linha masculina. “É fundamental compreender as diferenças entre as peças direcionadas ao público feminino e masculino. As sapatilhas possuem um molde diferenciado para se adaptarem melhor ao formato do pé dos homens. Além disso, temos suportes (roupa íntima masculina), que oferecem mais conforto durante a prática da dança”, finaliza Lilian.

Como escolher um suporte masculino?

Para os bailarinos, o uso do suporte íntimo é de extrema importância. A peça precisa dar conforto e flexibilidade aos movimentos, sem causar qualquer incômodo. “Tem que dar sustentação e não machucar a virilha”, explica Thiago Borges, bailarino que representa a Evidence Ballet em campanhas. Lilian Marrul explica que os suportes da marca possuem acolchoado na frente e são modelo fio, para não marcar a roupa.

227088-veja-agora-como-fazer-um-alongamento-posdanca-adequado

Veja agora como fazer um alongamento pós-dança adequado

O alongamento pós-dança é uma prática indispensável para restabelecer a saúde muscular depois de um ensaio ou de uma apresentação. Alongar os músculos é importante para mantê-los flexíveis e menos tensos, o que ajuda a prevenir lesões e até aquelas dores ou câimbras fortes, causadas pela prática de exercícios intensos ou muito duradouros. Além disso, essa atividade também contribui para a manutenção da postura digna de bailarino.

No artigo a seguir, você vai conseguir aprender algumas dicas de alongamento fáceis para fazer depois da dança. Mas, atenção: nunca exceda os limites do seu corpo, certo? Agora, é só aproveitar as dicas para começar o seu alongamento!

Alongue as pernas

1. Parada, com os pés paralelos e a mais ou menos um palmo de distância entre eles, desça o tronco lentamente, até encostar as palmas das mãos no chão. Se elas não chegarem, desça até o limite, de modo que você sinta a parte posterior das suas pernas esticada. Conte até 10, suba lentamente e realize o exercício novamente, duas vezes.

2. Deitado de barriga para cima, abrace um dos joelhos em direção ao tronco, estique a perna para o chão. Segure por 30 segundos. Depois, estique a perna que estava abraçada para o alto, levante-a ao máximo que puder, sem tirar o quadril do chão. Segura por 30 segundos e desça lentamente.

3. Sentado no chão, afaste as pernas o máximo que puder. Sem tirar os glúteos do chão, incline o corpo para um lado, depois para o outro. Por último, incline o corpo para frente, tentando encostar a barriga no chão. Segure cada posição por 30 segundos.

Alongue os braços e parte superior do corpo

1. Estique o braço e passe-o em frente ao peito. Com a outra mão, segure o braço esticado próximo ao cotovelo. Permaneça dessa forma por aproximadamente 10 segundos e inverta as posições.

2. Segure a cabeça para um lado e depois para o outro, girando-a em seguida lentamente. Depois, cruze os dedos atrás do pescoço e, com os cotovelos bem fechados, empurre a cabeça para baixo, sem mexer a coluna. Sinta o alongamento no início das costas e pescoço.

Tenha cuidado para não exagerar

Como você já sabe, o alongamento é a prática voltada para esticar os músculos que se contraem depois de uma série de exercícios intensos e duradouros. Por isso, é hora de tratá-los bem. Foque na sensação de alongamento e não force um movimento que o corpo não está preparado para fazer.

A dica para eficácia dessa atividade é que você sinta a realização do trabalho corporal ao fazê-la. Vá até o seu limite e não exija mais do que seu corpo pode dar. Evite esticar pernas e braços bruscamente, bem como permanecer em uma posição que cause muita dor. O respeito às próprias limitações é que vai dar, aos poucos, mais elasticidade para você.

Perceba então que o alongamento pós-dança é essencial para manter seu corpo preparado para ensaios e apresentações, sem deixar que aquelas dores se instalem depois de um dia de trabalho duro. Por isso, é muito importante separar um tempo depois da aula para se dedicar à sua recuperação muscular e fazer disso um hábito para manter seu corpo sempre saudável e pronto para dançar!

E aí, gostou das nossas dicas de alongamento? Então, fique por dentro de todas as nossas novidades, curta nossa página no Facebook!

https://www.evidenceballet.com.br/produto/colecoes/capsula-4/collant-adulto-manga-curta-em-amni-1162/

Collant: como escolher o mais adequado para sua prática?

Assim como a sapatilha, o collant é um verdadeiro ícone no mundo da dança e do ballet, de modo geral. Criado para se adaptar às curvas e movimentos do corpo, pode ser encontrado em diferentes modelos, tecidos e recortes. E é justamente essa diversidade que muitas vezes confunde quem está em busca do ideal para sua modalidade. Conforto e, é claro, design são indispensáveis. Mas é preciso sim se atentar a alguns detalhes antes de escolher a peça. Por isso, entenda o que deve ser levado em consideração na hora de optar por um ou outro modelo:

Modalidade de dança

Talvez uma das perguntas mais importantes a se fazer antes de escolher um collant seja: “para qual atividade ele será usado?”. Isso porque, dependendo do exercício ou estilo de dança, detalhes como botões, rendas, zíperes e fivelas podem prejudicar a prática. Enquanto no ballet clássico a bailarina pode investir nesses “enfeites”, no contemporâneo eles podem dificultar e até machucar as dançarinas.  Neste caso, o ideal é que seja liso e, se tiver manga longa, melhor ainda. Devido à informalidade e liberdade do contemporâneo, os bailarinos se arrastam pelo chão, então é necessário que o corpo deslize. Por isso não é interessante que algumas partes do corpo fiquem expostas, pois elas grudam no linóleo. Quer saber mais sobre as diferenças entre ballet clássico e contemporâneo? Clique e veja.

Estação do ano

É importante também que o collant acompanhe a época do ano e o clima. Em dias mais frios, por exemplo, manga longa, veludo e gola alta são ótimos para proteger das baixas temperaturas. Já no verão são indicados tecidos mais frescos, cavados e que possuam uma tecnologia para não encharcar com o suor. O importante é que a pele respire sem dificuldade. Para dicas de look de inverno, clique e saiba mais.

Silhueta da bailarina

Alguns recortes, apetrechos e decotes podem modificar a forma como enxergamos o corpo da bailarina. No caso, dançarinas com mais busto, por exemplo, costumam optar por peças que garantem mais sustentação. Assim, alças largas podem oferecer a segurança necessária.

Para quem gosta de valorizar pescoço e ombros, o decote canoa é ideal, pois ressalta essas características. Já o decote em V, alonga mais a silhueta e o pescoço, dando a impressão de um corpo mais esguio.  O decote em U é uma opção mais democrática e confortável. Ele garante mais sustentação principalmente para quem tem o busto mais avantajado. Já o decote em U profundo dá mais charme para as bailarinas que possuem seios menores. Outra opção para destacar a região dos seios é o collant com gola alta.

Cores que fazem a diferença

Brincar com as cores também pode ser uma ótima pedida. Nesse caso, os tecidos levemente brilhosos são muito charmosos. Em contrapartida, não são muito indicados para disfarçar as gordurinhas a mais. Por outro lado, as cores mais escuras, como já se sabe, disfarçam um pouco mais.

Outras considerações

Há escolas e companhias que já possuem modelos pré-estabelecidos para a prática das aulas e ensaios. Nesse caso, todos devem se vestir igualmente ou com uniformes. Mas quando houver espaço para analisar mais opções, as dicas acima podem ajudar muito e garantir mais conforto e performance.

Mesmo assim, é sempre importante checar se existem opções no seu guarda-roupas para combinar com a nova peça. Sainhas, meias-calças e/ou shortinhos são peças que podem ser usadas em conjunto com o collant. Portanto, é necessário se certificar de que estarão combinando. Mas a melhor dica é checar se a peça possui o conforto necessário e se está de acordo com sua personalidade.

Roupas de ballet: o que não pode faltar no seu guarda-roupa

A rotina de quem dança é cheia de atenção aos detalhes, não é mesmo? Tudo precisa estar perfeito para favorecer a performance do bailarino ou bailarina. Entre as maiores preocupações, estão as roupas de ballet.

Isso porque, nessa manifestação artística, as peças de roupa não são apenas itens de vestuário. As roupas são aquilo que ajuda quem dança a maximizar o potencial do próprio corpo e, por isso, precisam ser adequadas para a prática.

Você sabe o que não pode faltar em seu guarda-roupa de dança? Continue lendo, a seguir vamos falar mais sobre as roupas de ballet essenciais!

Collants

Essa é uma peça fundamental na vida de quem se dedica ao ballet. O collant, que deve abraçar o corpo e servir como base para as demais peças que são adicionadas, deve ser confortável e favorecer os movimentos, nunca limitá-los.

Por isso, a atenção ao material e à modelagem são tão importantes. Além disso, o tecido precisa apresentar boa durabilidade, pois, por ser muito utilizado, o collant é lavado com muita frequência.

Por isso, vale investir em collantes em Amni, um tecido de secagem rápida, que melhora a transpiração nos ensaios e que adere bem ao corpo, além de ter proteção UV. Um collant de gola alta oferece a segurança de não ter que se preocupar com o decote. Para não enjoar da cor e ganhar em versatilidade, a dica é apostar em um collant dupla face. Para dias mais frios, o collant com manga 7/8 é um ótimo aliado.

Calças e shorts

Calças e shorts auxiliam na composição do look de ballet e, muitas vezes, substituem as saias por aquecerem a região da virilha. Por isso, eles incrementarem a flexibilidade da área, além de serem peças muito usadas no aquecimento.

O mais importante é que tenham bom caimento e o tecido seja macio, como o moletom e a poliamida. Se gosta de modelos mais justos, a calça fuseau em Amni é ideal. Se quer uma opção mais larguinha e urbana, vá de calça de moletom com punho. Caso sua preferência seja por shorts, opte por um short de aquecimento, mais soltinho e com elástico.

Saias

As saias também são itens indispensáveis no guarda-roupa. Mais uma vez, o ideal é prezar pelo conforto e amplitude de movimentos, tendo atenção ao material da peça e também à modelagem.

Uma saia de helanca com cós em lycra atende muito bem todos os requisitos. Pensou em algo mais elaborado? Que tal uma saia em tule duplo? Ela é leve e deixa qualquer movimento mais gracioso.

Tops

A sustentação dos seios é fundamental para que a bailarina se sinta segura e confortável para executar seus movimentos com perfeição. Como essa será a primeira camada de roupa em contato com a pele, priorize tecidos que melhoram a transpiração.

Um top básico em Amni, com alças finas e fecho nas costas, cumpre bem esse papel. O top em neoprene com zíper é uma excelente pedida para seios maiores, pois sua modelagem, com alças largas e costas nadador, sustenta bem o busto.

Blusas, camisetas e jaquetas

Blusas, camisetas e jaquetas são itens de estilo que os bailarinos e bailarinas podem usar no aquecimento e também para se deslocarem para o estúdio. A regra é a mesma: conforto, maleabilidade do material e atenção à transpiração.

Por isso, uma blusa em moletom é bem-vinda, assim como a estilosa t-shirt chocker em tecido leve. O moletom ainda vai bem na jaqueta bomber, com modelagem mais ampla. A parka de aquecimento em poliamida é um bom investimento para os dias frios.

E então, gostou de nossas dicas sobre roupas de ballet? Esperamos que sim! Que tal dar uma passadinha em nossa loja virtual para pesquisar modelos que atendem às suas necessidades e montar um guarda-roupa de ballet impecável?.

Quer fugir do branco nesse Réveillon? Veja como!

Não importa se você vai passar a noite do dia 31 de dezembro em casa, na praia, ou no campo. Quando se fala em figurino para o Ano Novo, a primeira cor que vem á mente é o branco. Até mesmo as lojas já começam a cobrir as vitrines com peças que exibem a cor da paz.

Que o mundo precisa de paz, não se discute. Mas será mesmo que não é possível variar um pouco e apostar em cores que fujam do tradicional? A Estilista Lilian Marrul, da Evidence Ballet, garante que sim. Seguem abaixo algumas sugestões para destoar nesse réveillon e começar o ano arrasando no look.

Quer mais dicas de moda para arrasar nesse verão? Clique aqui e saiba mais.

 

Prata e dourado

Collant Amni gola alta

 

Essas cores são puro glamour e ainda podem ser combinadas com tons mais fechados para dosar a luminosidade. “Peças em prata ou dourado são excelentes opções quando se trata de festas sofisticadas. O Preto vai muito bem com peças em Tons de dourado ou prata, pois quebra a luminosidade excessiva”, explica Lilian. Para deixar o look menos formal, use a blusa nesses tons luminosos e combine com jeans. O dourado fosco também vai muito bem com tons de nude. Lembre-se de usar acessórios discretos.

Clique aqui e veja mais informações sobre o collant de gola alta.

 

Amarelo

 

Cropped em Malha

 

“O amarelo é uma cor estimulante e traz luminosidade ao look”, destaca a estilista. Para criar um visual mais clean, vale combinar o amarelo com peças de tons neutros como cinza, por exemplo. Alegre e despojado, o tom pode ser combinado ainda com estampas. Quanto aos tecidos, opções leves e fluidas são mais indicadas.

 

Azul Marinho

 

Macacão Amni Drapeado

Cores escuras costumam ser evitadas em datas mais festivas, mas, não há como negar que o charme dessas peças afasta qualquer preconceito. “Quando mescladas com transparências ou tecidos metálicos, elas podem ganhar ares mais despojados”. A dica é também mesclar acessórios luminosos.

 

Verde Pacífico

Collant Amni Recorte Cintura

Engana-se quem pensa que o verde é apenas a cor da esperança. Além de representar confiança, pode também ser uma expressão de equilíbrio. Seja em tons claros ou mais fechados, aposte em tecidos leves para dar mais charme ao visual. “O verde é capaz de harmonizar com muitos tons, entre eles, o marinho e nude se destacam”. finaliza Lilian Marrul.

 

 

Se ainda assim você preferir investir no branco, uma ótima alternativa é o Off White. Ele até parece branco, mas na verdade leva uma tonalidade um pouco mais amarelada. O tom geralmente facilita a combinação, pois vai bem com vários tons de pele. O look total Off White também é uma opção sofisticada e pode ser aliada a acessórios coloridos.

 

Veja dicas de modelos de collant para arrasar em 2018.

 

 

 

 

 

 

Looks de Natal para três tipos de celebração

Em época de festas, escolher bem o figurino nem sempre é uma tarefa fácil. Principalmente quando se trata de uma noite tão especial quanto a de Natal. Isso porque o momento pede uma produção mais cuidadosa e elegante, sem abrir mão do conforto, é claro. Nessa hora, vale investir em peças leves que proporcionem o bem-estar necessário para uma noite em família ou na companhia de pessoas queridas. Vale lembrar que já estamos no verão, então quanto menos espesso for o tecido, melhor.

Sim, na teoria parece simples, mas, na prática, essa composição pode ser um pouco mais trabalhosa. Antes de qualquer coisa, é necessário identificar o perfil da sua festa de Natal. Para cada tipo de reunião, há um look ideal. Confira as sugestões abaixo:

Acesse o link e conheça as tendências para o verão 2018

Formal

As ceias de Natal mais formais geralmente acontecem em restaurantes ou espaços específicos para eventos. A família e amigos organizam-se para serem servidos e não há necessidade de movimentar-se tanto. Para esses casos, a sugestão é apostar em um macacão justo aliado a um quimono em crochê super leve e versátil. Mesmo simples, a combinação oferece toda a sofisticação que o momento pede.

 

Informal

Pai, mãe, avós, tios, primos e amigos todos reunidos em torno de uma mesa cheia de guloseimas. Se seu Natal costuma ser comemorado na casa de algum parente, em meio a conversas descontraídas, o ideal é não forçar tanto a produção e investir em um visual mais despretensioso, mas com muito charme. Recomendamos um vestido soltinho com uma sandália com tiras grossas para dar mais sustentação e segurança.

 

Praia ou Campo

Se, por outro lado, você está programando um Natal na praia ou sítio, o ambiente pede opções mais usuais. Para momentos assim, um short ou saia em tule cairão super bem com um cropped em malha. Abuse dos acessórios, mas cuidado com os colares e pulseiras muito brilhantes para não contrastar com o estilo despojado.

Quer saber mais sobre como usar os tecidos em tule? Clique aqui e saiba mais!

Look com mochila peruana: veja como combinar

As padronagens multicoloridas tão tradicionais do folclore peruano invadiram as ruas em looks pra lá de estilosos. A moda vai dos calçados a acessórios, compondo produções democráticas, que agradam os mais diversos estilos. Entre os hits da tendência, a mochila peruana é destaque, pois deixa o visual ainda mais elaborado e garantindo ainda mais conforto para o dia a dia.

Que tal descobrir como inserir este curinga no seu look do dia? Trouxemos curiosidades sobre a moda peruana e dicas certeiras para você arrasar na produção e deixar o seu visual ainda mais bonito. Confira a seguir!

A moda peruana

A cultura milenar peruana ganhou espaço na moda a partir da década de 1970, com o crescimento do movimento Hippie, que adotava referências culturais de diversas partes do mundo. Logo, a irreverência de cores e materiais peruanos invadiu também as passarelas internacionais, tornando-se um dos mais importantes curingas para as fashionistas de plantão da época até os dias atuais.

Algodão, lã, corda, bordados, palha e aviamentos diversos compõem as criações típicas do país sul-americano. A mistura de cores vibrantes com tons terrosos tornou-se marca registrada das peças de vestuário e acessórios do povo do Peru e depois, com a crescente popularidade, ultrapassou fronteiras e chegou à moda de rua nas principais metrópoles mundiais.

A tendência também vai ao encontro da febre das estampas étnicas, que trouxe para o mundo da moda muitas e diferentes influências culturais. No Peru, encontramos inspirações dos astecas, maias, tribos indígenas variadas e artesãos locais, todas com forte apelo histórico e artístico.

Mochila peruana: versátil e muito democrática

Entre os itens que viraram sensação, a mochila peruana é destaque. Além de toda a sua funcionalidade, a peça é um verdadeiro charme para pessoas dos mais diversos estilos. Coloridas, elas trazem irreverência e podem ser combinadas com as mais diversas produções no dia a dia.

Para quem prefere um visual mais sóbrio, a dica é deixar a mochila peruana como destaque. Para isso, escolha roupas em tons neutros e não exagere nas padronagens.

Para as mais românticas, um vestido fluido e sapatilha já completam o visual. Se o objetivo é ter um visual mais urbano, vale investir na combinação da mochila com uma t-shirt, short jeans e tênis.

Aposte na mochila peruana para ir para a faculdade, encontrar os amigos ou passear no shopping. Afinal, é uma peça bem versátil e democrática, garantindo um toque extra de estilo naquele look de que você já estava até enjoada.

Conforto sempre

A mochila peruana, além de superestilosa, é também alternativa para deixar o seu dia a dia ainda mais funcional. Resistente, é a escolha ideal para aquele dia que você sai de casa mais cedo e precisa levar mais coisas.

Com o acessório, é possível não só organizar melhor os seus pertences, mas também levar tudo de maneira mais confortável. Ou seja, depois de escolher a combinação perfeita para usar com a sua mochila peruana, você ainda desfruta de toda a funcionalidade que ela oferece. Ou seja, beleza e praticidade juntas.

Deu vontade de apostar nessa tendência? Que tal adicionar o acessório ao seu look do dia e criar produções ainda mais criativas e alegres? Então, confira a mochila peruana da nossa loja virtual e arrase ainda mais no visual!

148601-x-acessorios-essenciais-para-apaixonados-por-danca-de-salao

5 acessórios essenciais para apaixonados por Dança de salão

Na hora de escolher os acessórios para dança de salão, é fundamental ter consciência de que você está indo se movimentar e, por isso, o conforto é imprescindível. A escolha correta dos itens reflete diretamente na performance do dançarino, além de evitar acidentes.

Sapatos confortáveis, roupas leves e acessórios funcionais contribuem para uma prática segura e prazerosa. No entanto, a variedade de itens é tão grande que muitas vezes há dúvidas sobre o que escolher.

Pensando nisso, no post de hoje listamos 5 acessórios indispensáveis para quem pratica dança de salão. Confira!

1. Sapatos confortáveis

O sapato é um dos acessórios para dança de salão que mais influenciam na execução dos passos. A dica é apostar em modelos confeccionados especialmente para a atividade e para o estilo de ritmo.

Para as mulheres, a indicação é optar por saltos mais largos, que permitem a distribuição do peso e garantem mais segurança na hora de dançar. Invista em modelos que fiquem firmes nos pés, como sandálias com tiras ou sapatos do tipo “boneca”, proporcionando mais segurança e evitando a falta de equilíbrio.

Além disso, elas também devem evitar saltos do tipo plataforma, pois o solado duro impede a articulação dos dedos dos pés. Isso pode não só prejudicar algumas técnicas de dança, como também causar problemas como tendinite.

Já para os homens, a dica é evitar sapatos com o bico muito fino e apertados. As solas de borracha também não são indicadas para a prática da dança e, por isso, é importante investir em sapatos especiais para a atividade.

2. Roupas leves

Cada estilo de dança possui uma vestimenta própria. No entanto, para as aulas de dança de salão a prioridade é sempre o conforto. Por isso, vestidos leves, macacões e blusas soltas são boas alternativas para garantir liberdade de movimentos para as mulheres.

Já para eles, vale tanto um estilo mais social (com calça de alfaiataria e camisa), até algo mais despojado como calça de moletom e camiseta. O importante é escolher peças que garantam conforto e não interfiram nos passos da dança.

3. Bolsas e mochilas

Para carregar as roupas, sapatos, garrafinha d’água e demais apetrechos para a aulas, invista em mochilas ou bolsas grandes — elas serão grandes aliadas para o dia a dia, distribuindo o peso sem sacrificar a coluna de quem dança.

4. Acessórios de cabelo

Para manter o cabelo no lugar na hora de realizar os movimentos da dança de salão, as mulheres podem investir em elásticos, tiaras e faixas de cabelo, além de grampos e fivelas que, além de não deixarem o cabelo atrapalhar a evolução da aula, dão um charme extra ao visual.

5. Nécessaire

Para guardar os produtos de higiene pessoal, maquiagem e demais acessórios pequenos sem correr o risco de perdê-los, que tal investir em uma nécessaire? Como o nome indica, elas são realmente necessárias para organizar tudo e otimizar seu tempo antes e depois das aulas.
A escolha certa dos acessórios para dança de salão proporciona não só mais comodidade para a prática da atividade, como também pode refletir positivamente na sua performance. Para desfrutar dos benefícios de itens pensados especialmente para quem ama dançar, conheça nossos produtos e conquiste resultados ainda melhores!

Body ou Collant - Evidence Ballet

Renda, cirrê, crochê e zíper: os pretinhos nada básicos

Saiba como usar os clássicos da moda sem cair na mesmice

 

Independente da ocasião, quase toda mulher tem uma peça coringa no guarda-roupa: o famoso pretinho básico. Aquela blusinha que te cai bem e pode ser usada tanto pra sair com as amigas quanto para atividades rotineiras. O que muitos não sabem é que, com alguns detalhes, essa peça pode despertar outra percepção e até ser usada como uma peça mais elegante.

 

Pensando nisso, listamos algumas opções que podem transformar aquele visual básico em um look totalmente rebuscado. Confira algumas sugestões:

 

Detalhes em renda

Nada como uma renda para dar aquele toque de romantismo e sofisticação às roupas. Combine este collant com calça jeans e salto. Você estará pronta para compromissos casuais ou mesmo aquela festa de sábado á noite.

Amni e Cirrê

Enquanto o Amni traz a leveza e descontração, o brilho do cirrê esbanja atitude e sensualidade. Ideal para a noite, esses itens no collant aliado a uma saia e bota clássica te deixarão completa para arrasar em qualquer festa.

Moletom e crochê

Existe algo mais confortável e casual do que um bom e velho moletom? Pois saiba que até ele pode se transformar em uma peça elegante. No caso da blusa, por exemplo, o crochê trouxe charme e sobriedade, transformando o look em uma opção para trabalhar ou para sair.

Linhas diagonais e zíper

Seja lá qual for a roupa, um zíper sempre dá um toque especial. O colete com detalhe em ângulo diagonal confere um estilo descolado. A combinação pode ser feita com uma calça Fuseau e salto para aquela reunião importante do trabalho.

Tecido vazado

Charme é a palavra que define essa técnica que transforma qualquer peça em uma verdadeira obra de arte. Com tecido vazado nas costas, a mini veste ganha um ar despretensioso e moderno. Indicado para atividades do dia a dia ou para atividades diurnas e informais.

Gostou da nossa seleção? Aproveite para conferir mais opções no site da Evidence Ballet.