cuidados

Pés de Bailarina: 9 dicas incríveis para manter seus pés bem cuidados

Os pés da bailarina são o principal instrumento de execução dos movimentos clássicos, que encantam multidões. No entanto, escondidos debaixo de sapatilhas apertadas, muitas vezes eles se encontram marcados por calos, joanetes e unhas encravadas, causadas por uma intensa rotina de treinamentos.

Seguindo uma série de cuidados com os pés, é possível mantê-los saudáveis e sempre prontos para executar movimentos com perfeição. Neste post, listamos 9 dicas incríveis que lhe ajudarão a melhorar a saúde dos seus pés de bailarina. Confira!

  1. Mantenha as unhas curtas

Bailarinas já sabem o quanto unhas grandes podem ser desconfortáveis e doloridas durante a dança. Para as iniciantes, uma boa forma de cuidado com os pés é mantê-las bem cortadas e lixadas, de modo a evitar que encravem ao longo da prática do ballet e para que não atrapalhem a execução dos seus movimentos.

  1. Hidrate com moderação

Os hidratantes e óleos podem causar um efeito negativo se utilizados em excesso. Sua principal consequência é o afinamento da pele, que, em atrito regular com as sapatilhas ou com o solo, pode causar feridas popularmente chamadas de “carne viva”. Utilize-os, no máximo, duas vezes por semana, de preferência durante à noite, com os pés prontos para descansar.

Para hidratar de forma correta, opte por cremes específicos para as áreas dos pés, pois eles contêm ingredientes para essa parte do corpo. Você pode escolher os que apresentam propriedades refrescantes e calmantes ou os que contam com ingredientes que devolvem a oleosidade natural da pele.

  1. Cuide de bolhas e calos e não os estoure

As bolhas e os calos são bastante comuns em pés de bailarina. Pelo menos em algum momento da sua rotina eles aparecerão e, quando isso acontecer, não os estoure. Cair na tentação de retirar calos com alicates, tesouras ou outros instrumentos, além de criar um aspecto estético ruim, pode causar infecções graves. O ideal é esperar que eles saiam naturalmente, ou caso estejam muito doloridos, procure a ajuda de um podólogo.

Quando um deles aparecer, proteja-os com um curativo que não grude. Você pode optar por uma gaze coberta com vaselina líquida ou adquirir curativos chamados hidrocoloides, especiais para essa área. O ideal é manter a região machucada longe de contaminação e de mais atrito.

  1. Tenha cuidado com quem cuida das suas unhas

Mesmo sendo importante manter as unhas bonitas, tenha cuidado com as manicures ou pedicures. Algumas profissionais sem capacitação podem piorar a situação de unhas encravadas e serem responsáveis pela transmissão de bactérias graves por meio de instrumentos e alicates mal-esterilizados. Para um cuidado efetivo com os pés, faça visitas regulares ao podólogo, pois ele será capaz de tratá-los melhor e indicar a forma ideal de cortar e cuidar das unhas, de acordo com o seu formato, para evitar que elas encravem.

  1. Utilize protetores nas sapatilhas

Durante as aulas, use uma ponteira, de preferência de silicone, para ajudar a reduzir os impactos dos pés na sapatilha. Essa é uma forma de proteger os dedos e evitar que as unhas encravem ou quebrem ao longo do tempo.

É importante também comprar sapatilhas do tamanho certo para os seus pés, pois números muito menores podem provocar feridas e calos logo no primeiro dia de uso e causar os temíveis joanetes. Caso você já as tenha, o ideal é conservá-las de forma correta e utilizar um protetor especial também dentro das sapatilhas e na parte dos calcanhares.

  1. Dê um descanso para os seus pés

Diariamente, após os treinos ou antes de dormir, faça imersões dos seus pés em água morna, massageie-os suavemente e proteja-os com uma meia de algodão confortável. No dia a dia, fora das aulas de ballet, evite sapatos muito apertados ou saltos muito altos.

  1. Alimente-se bem

Uma boa alimentação também é importante no cuidado dos pés de bailarina. Alimentos ricos em cálcio, zinco e vitaminas são capazes de manter unhas fortes, saudáveis e difíceis de quebrar. Além disso, são a principal fonte de energia, força e resistência, essenciais para os treinos mais intensos.

  1. Faça massagens nos pés

Tanto para manter os pés bem-cuidados quanto para relaxar depois de um treino intenso, ou também para aliviar as dores musculares nessa região, fazer uma massagem caprichada é revigorante. Se for a um massagista, você pode pedir para que ele dedique uns minutos a mais em cada um dos pés. Porém, como sabemos que essa não é a realidade de todos os bailarinos, é possível que você mesmo faça uma bem-caprichada.

Para começar, dê atenção especial aos dedos e vá subindo por todo o cumprimento até chegar nos calcanhares. O peito dos pés é uma parte que não pode ser esquecida. Gaste um pouco de tempo nessa região também. Mesmo se não tiver muito tempo durante o dia para realizar tal procedimento, dedique pelo menos 5 minutos após o banho para cada pé, que eles agradecerão — e muito!

  1. Realize escalda-pés

Quando sentir que os pés estão sobrecarregados ou após um treino de ponta, você pode efetuar um escalda-pés para que eles relaxem. O procedimento é bem simples! Você vai precisar colocar água morna, uma colher de sopa de sal grosso e algumas pedrinhas redondas em um balde ou tacho. Depois, é só deixar os pés imersos nessa solução e ir pisando nas pedrinhas. Se quiser, pode incluir algumas ervas ou essência de cânfora ou eucalipto, que são calmantes e aliviam o cansaço.

Condições de saúde que podem ocorrer caso os pés não sejam cuidados

Caso você não faça o cuidado correto dos pés antes, durante e depois das práticas de ballet, pode acabar com alguns ferimentos sérios ou condições de saúde que não são agradáveis. Como os pés são utilizados, muitas vezes, exaustivamente, o mínimo descuido pode ser motivo de complicações bem sérias.

Por conta de maus hábitos e poucos cuidados, entre os ferimentos que podem acometer seus pés estão os calos, que se não tratados podem provocar dores intensas e atrapalhar os passos, as unhas podem se machucar com mais facilidade e as bolhas também aparecem com frequência para atrapalhar.

Outras condições que possivelmente ocorrem quando os cuidados básicos são negligenciados são os fungos e as micoses. Ainda há as frieiras, causadas por excesso de umidade, são pequenas infecções geradas por bactérias que causam a ruptura da pele, principalmente entre os dedos. Para evitá-las, o recomendado é enxugar bem essa região após o banho.

Como você pode perceber, é essencial cuidar dos pés de bailarina para evitar sérios problemas e manter seu instrumento de trabalho saudável. Além das dicas descritas aqui, é imprescindível escolher produtos de qualidade para realizar a prática da dança de maneira adequada e segura.

Para isso, você pode conferir algumas sugestões de como fazer a escolha desses produtos de forma certeira!

5 cuidados com a postura que toda dançarina precisa ter

São inegáveis os benefícios que a dança traz para o corpo: melhora a musculatura, a coordenação motora, a flexibilidade e o equilíbrio. Mas é a postura correta que mais ganha com a prática.

Só que ela não surge assim, de graça, de uma hora para a outra. São necessários alguns cuidados com a postura, até mesmo fora das aulas, para evitar lesões e problemas sérios na coluna.

Confira as cinco dicas que vamos dar para garantir uma postura adequada.

1. Tenha alguns cuidados com a postura quando não estiver dançando

Uma postura correta é essencial para a performance de qualquer dançarina, mas não é só nos treinos e ensaios que ela é importante. Muitas vezes acabamos nos descuidando no dia a dia, mas é nesses momentos que ela é mais necessária.

Quando estiver sentada, por exemplo, o tronco corre o risco de ficar fora da linha correta. Também é importante ter esse cuidado na hora de dormir. Por isso, invista em colchões e travesseiros de qualidade: eles farão toda a diferença. E evite ao máximo dormir de bruços para não forçar demais a curvatura lombar.

Lembre-se: preste atenção sempre que possível e não esqueça de corrigir quando perceber.

2. Evite movimentos forçados em caso de dor

A paixão pela dança muitas vezes nos leva a fazer sacrifícios. Mas, se estiver sentindo alguma dor, é melhor não forçar os movimentos, por mais que queira continuar com a aula.

É muito importante respeitar os limites do seu corpo, pois a insistência no treino em casos como esse pode acarretar lesões sérias em diversos lugares do corpo, como tornozelos, coluna, joelhos e quadril.

Na dúvida, pare o exercício e não force. E não esqueça de consultar um médico o mais rápido possível.

3. Execute os movimentos com precisão

Para que as lesões mencionadas no tópico anterior não aconteçam, é interessante atentar para a execução correta dos movimentos da dança.

Embora você não perceba, a execução e a repetição de passos errados, sem o encaixe correto dos membros e das articulações, pode acarretar no desenvolvimento de desvios posturais. A escoliose é uma dessas doenças que, quando não corrigida a tempo, pode causar dores muito fortes e defeitos permanentes.

Neste caso, uma boa dica é desenvolver o que chamamos de consciência corporal, ou seja, aprender a reconhecer a localização espacial e o movimento que cada um de seus membros fazem. Pode parecer difícil, mas é um elemento fundamental para a melhora da postura na dança, além de potencializar benefícios e até mesmo a parte estética da atividade.

4. Procure um médico caso sinta dores frequentes

Por mais que você seja atenta aos movimentos, caso sinta alguma dor com frequência, não deixe de consultar um médico. Esse tipo de incômodo pode significar uma gama de problemas, dos mais simples aos mais sérios.

Quanto antes a causa for detectada, melhor. Isso porque as dores não comprometem somente sua performance como dançarina, mas também sua saúde. Por isso, mantenha sempre um bom acompanhamento profissional, combinado?

5. Capriche nos alongamentos

Por último, mas não menos importante, precisamos falar um pouco sobre os alongamentos e sua contribuição para a postura correta. Ao se alongar com frequência, antes e depois das atividades, a musculatura é fortalecida e as lesões são evitadas seja nos ensaios ou nas apresentações.

Além disso, não há receita melhor para a flexibilidade do que um bom alongamento e sempre feito com qualidade e tempo.

Os cuidados com a postura são fundamentais para o bom desempenho e a boa saúde de qualquer dançarina. Portanto, coloque essas dicas simples em prática e não deixe de assinar nossa newsletter para ficar sempre informada sobre o universo da dança!