Collant

Conheça 6 modelos de collant diferentes para bailarinas de todas as idades!

Dançar é uma atividade que mantém o corpo em contínuo movimento. E, para que ela seja feita da melhor maneira e de forma leve, o collant deve ser, antes de tudo, confortável. Ele se assemelha a um maiô e é a vestimenta de uso principal das bailarinas. Por ser muito utilizado, será lavado várias vezes, então, quanto mais collants você tiver, melhor!

Se está inserida no mundo da dança ou ginástica rítmica, é uma bailarina ou conhece alguém próximo que seja, sabe bem a importância de ter diferentes tipos dessa peça para cada ocasião. Veja, neste texto, os principais modelos de collant e escolha o seu!

1. Modelo básico

Quando pensamos em modelos de collant, geralmente o que vem à cabeça é aquele mais básico de todos, utilizado em diversos tipos de dança, como o ballet: sem mangas, cores neutras, nem muito decotado na frente e atrás. Ele se parece com uma blusa regata e é muito usado por academias que solicitam o uso de uniformes para seus alunos.

2. Modelos com decotes

Além dos modelos básicos, é possível encontrar peças com mais detalhes, como os decotes. A seguir, você confere as opções com essa particularidade.

Decote na frente

Assim como camisas, os collants podem ser mais fechados na frente ou mais decotados. Alguns são mais retos na parte anterior, com o colo todo coberto. Outros desenham mais o busto. Isso vai depender do gosto da bailarina e do quão confortável ela se sentirá com mais ou menos decote.

Decote nas costas

Normalmente, bailarinas têm costas magras. Nesse caso, a melhor forma de valorizá-las é com um decote nessa região, que também possibilita maior sensação de liberdade para os movimentos. Mas se a bailarina preferir — ou precisar de — mais segurança e sustentabilidade, dependendo do movimento, os modelos que apresentam alças cruzadas atrás são uma ótima opção!

3. Modelo com mangas

Alguns modelos de collant podem ter uma manga só, o tipo 3/4 ou mangas compridas. Normalmente, ao se movimentar e se exercitar, a temperatura do corpo sobe. Sendo assim, eles são mais indicados para os tempos de frio.

Collants de manga comprida contam com um charme especial: ideais para o aquecimento, proporcionam elegância e alongam os braços, valorizando ainda mais os movimentos realizados!

Para quem possui pouco busto, os collants com uma manga podem ser indicados, pois não proporcionam muita sustentação, mas são muito charmosos e agregam estilo! Indicados para uma aula tranquila de ballet clássico, como a de barra por exemplo.

4. Modelos que oferecem sustentação

Como o collant não é usado com sutiã por baixo, alguns modelos têm uma tira mais reforçada de elástico embaixo do busto ou nas costas para proporcionar mais sustentação e segurança. Normalmente, são recomendados para bailarinas com mais busto, além de serem ideais para aulas de saltos e movimentos rápidos!

5. Modelos com renda

Os collants são como muitas outras peças de roupa que você escolhe com cuidado para “desfilar” por aí — e podem até ser usados normalmente, no estilo bailarina —, mas no universo da dança, são o verdadeiro destaque! Alguns modelos de collant são bem charmosos, com detalhes e rendas na frente, ou até mesmo mangas curtas (ou 3/4) de renda. Apesar de esquentarem um pouco mais, o efeito visual é, sem dúvida, muito charmoso. São perfeitos para apresentações!

Dicas de o que observar na hora de escolher o collant ideal

Agora que você já conheceu os modelos de collant mais comuns, precisa saber como escolher o produto ideal para a sua prática constante. Confira, a seguir, algumas sugestões.

Clima da região

O collant ideal precisa deixar você confortável, ou seja, não deve gerar calor excessivo nem deixá-la com frio. Por esse motivo, é necessário levar em conta a temperatura que costuma predominar na região em que você mora. Em regiões mais quentes, por exemplo, é bom não optar pelos modelos de manga comprida.

Já nas regiões que são mais frias durante o ano, o ideal é passar longe dos modelos com muito decote. Tudo isso precisa ser pensado para que sua experiência ao usar essa peça seja a mais agradável possível.

Tecido

O tecido de composição do collant também precisa ser bem escolhido e é um complemento do tópico anterior. Nas regiões mais frias, por exemplo, as malhas mais quentes e encorpadas, como o veludo, são as mais indicadas. Já para as regiões mais tropicais, o ideal é utilizar as que contam com absorção do suor e materiais mais respiráveis.

Conforto

De nada adianta escolher uma peça maravilhosa se você não conseguir se sentir bem ao vesti-la, não é mesmo? Por isso, preste atenção e opte por um collant que não tenha costuras que incomodam ou machucam a pele, que não escorregue demais e não entre onde não deveriam.

Para escolher a ideal, é bom experimentar a roupa e fazer alguns movimentos com ela. Você pode checar se não está mais curta no cumprimento ou se está prendendo em algum lugar. Não deixe de solicitar a troca no estabelecimento onde efetuou a compra se notar algo errado, mas respeite o prazo legal da loja para isso.

Cor

A cor é algo muito importante e, para escolher a que mais agrada, primeiro é preciso conferir com a escola ou academia de dança se ela faz alguma exigência ou restrição em relação a esse aspecto. As cores mais comuns para os collants são o nude, preto e rosa.

Porém, existem várias outras tonalidades no mercado e, se não interferir nas suas aulas, você pode escolher a que mais lhe agradar. Caso tenha que seguir a cor exigida pela instituição, você pode verificar se é permitido usar algum acessório, como as saias amarradas na cintura, e fazer uma boa combinação de cores.

Tamanho e silhueta

O tamanho do seu collant está diretamente ligado ao conforto da peça, como citamos anteriormente. Para escolher o ideal, você pode analisar a sua silhueta por completo para não errar.

Os decotes que promovem melhor a situação e as alças largas são ideais para quem tem as costas mais largas. As golas redondas e as no formato de V favorecem quem tem um pescoço mais curto, já que elas dão a impressão de que ele é mais alongado. Já quem tem os ombros largos e bonitos pode apostar no decote em canoa. Tudo é questão de fazer uma análise minuciosa!

Como você pode perceber, existem vários modelos de collant disponíveis no mercado e, caso não encontre o ideal, pode sempre recorrer à customização.

Neste post, você conferiu algumas dicas importantes para escolher a peça ideal. Por fim, é fundamental destacar a necessidade de comprar um que seja de qualidade e que se ajuste perfeitamente ao seu corpo para realizar os movimentos de forma correta.

Gostou do conteúdo do texto? Então aproveite e descubra agora quais as diferenças entre o body e o collant!

https://www.evidenceballet.com.br/produto/colecoes/capsula-4/collant-adulto-manga-curta-em-amni-1162/

Collant: como escolher o mais adequado para sua prática?

Assim como a sapatilha, o collant é um verdadeiro ícone no mundo da dança e do ballet, de modo geral. Criado para se adaptar às curvas e movimentos do corpo, pode ser encontrado em diferentes modelos, tecidos e recortes. E é justamente essa diversidade que muitas vezes confunde quem está em busca do ideal para sua modalidade. Conforto e, é claro, design são indispensáveis. Mas é preciso sim se atentar a alguns detalhes antes de escolher a peça. Por isso, entenda o que deve ser levado em consideração na hora de optar por um ou outro modelo:

Modalidade de dança

Talvez uma das perguntas mais importantes a se fazer antes de escolher um collant seja: “para qual atividade ele será usado?”. Isso porque, dependendo do exercício ou estilo de dança, detalhes como botões, rendas, zíperes e fivelas podem prejudicar a prática. Enquanto no ballet clássico a bailarina pode investir nesses “enfeites”, no contemporâneo eles podem dificultar e até machucar as dançarinas.  Neste caso, o ideal é que seja liso e, se tiver manga longa, melhor ainda. Devido à informalidade e liberdade do contemporâneo, os bailarinos se arrastam pelo chão, então é necessário que o corpo deslize. Por isso não é interessante que algumas partes do corpo fiquem expostas, pois elas grudam no linóleo. Quer saber mais sobre as diferenças entre ballet clássico e contemporâneo? Clique e veja.

Estação do ano

É importante também que o collant acompanhe a época do ano e o clima. Em dias mais frios, por exemplo, manga longa, veludo e gola alta são ótimos para proteger das baixas temperaturas. Já no verão são indicados tecidos mais frescos, cavados e que possuam uma tecnologia para não encharcar com o suor. O importante é que a pele respire sem dificuldade. Para dicas de look de inverno, clique e saiba mais.

Silhueta da bailarina

Alguns recortes, apetrechos e decotes podem modificar a forma como enxergamos o corpo da bailarina. No caso, dançarinas com mais busto, por exemplo, costumam optar por peças que garantem mais sustentação. Assim, alças largas podem oferecer a segurança necessária.

Para quem gosta de valorizar pescoço e ombros, o decote canoa é ideal, pois ressalta essas características. Já o decote em V, alonga mais a silhueta e o pescoço, dando a impressão de um corpo mais esguio.  O decote em U é uma opção mais democrática e confortável. Ele garante mais sustentação principalmente para quem tem o busto mais avantajado. Já o decote em U profundo dá mais charme para as bailarinas que possuem seios menores. Outra opção para destacar a região dos seios é o collant com gola alta.

Cores que fazem a diferença

Brincar com as cores também pode ser uma ótima pedida. Nesse caso, os tecidos levemente brilhosos são muito charmosos. Em contrapartida, não são muito indicados para disfarçar as gordurinhas a mais. Por outro lado, as cores mais escuras, como já se sabe, disfarçam um pouco mais.

Outras considerações

Há escolas e companhias que já possuem modelos pré-estabelecidos para a prática das aulas e ensaios. Nesse caso, todos devem se vestir igualmente ou com uniformes. Mas quando houver espaço para analisar mais opções, as dicas acima podem ajudar muito e garantir mais conforto e performance.

Mesmo assim, é sempre importante checar se existem opções no seu guarda-roupas para combinar com a nova peça. Sainhas, meias-calças e/ou shortinhos são peças que podem ser usadas em conjunto com o collant. Portanto, é necessário se certificar de que estarão combinando. Mas a melhor dica é checar se a peça possui o conforto necessário e se está de acordo com sua personalidade.

Vai encarar o treino nos dias frios? Saiba o que vestir!

A temperatura vai caindo e o nosso guarda-roupas parece ir encolhendo. As opções de peças apropriadas para o inverno geralmente são mais escassas do que as roupas que usamos no verão. Quando falamos em roupas de frio para atividades físicas então, aí é que as alternativas despencam de vez.

Se você pensa que acordar cedo e ter coragem de malhar é o único desafio do inverno, está enganada. Após superar a preguiça e o frio, a segunda parte é encontrar a peça ideal para encarar os treinos. Geralmente o dilema é: vestir algo muito quente e passar calor ou optar por roupa mais leves e passar frio.

É preciso saber que roupas de frio para a prática de atividades precisam ser muito bem elaboradas. Além disso, a tecnologia para não te fazer suar ou morrer de frio é essencial para essas peças. E como sabemos que não é fácil acertar na escolha, aqui vão algumas sugestões:

Da cintura para baixo

Nesse frio não dá nem pra pensar em tirar aquele shortinho da gaveta. O ideal mesmo é investir nas calças. Mas não qualquer calça, senão os movimentos podem ficar comprometidos. Para garantir a liberdade de movimentos sem deixar as pernas de fora, aposte na calça fuseau.

Modelos em neoprene com detalhes em cirrê, além de super charmosos, mantém a temperatura média do corpo. Mas se a ideia é malhar curtindo a playlist, aposte em uma calça fuseau com bolso para guardar o smartphone. Para o ballet, vale a pena apostar na flare ou mesmo em calças para o aquecimento, que são mais moderninhas. Antes e após o treino, elas irão proteger do frio e garantir muito mais conforto.

Da cintura para cima

Esqueça as regatas. De junho a agosto a ideia é optar por collants modelo manga 7/8 ou mesmo a manga comprida. Destaque para peças de múltiplo uso, como é o caso do collant com cropped de manga comprida. Na hora dos exercícios, o collant em tecido Light não permite que o suor encharque a peça. Mas se bater aquele friozinho, acredite, o cropped realmente fará diferença.

E como não dá pra sair de casa e arriscar pegar um resfriado, o agasalho fino é uma ótima pedida. Cardigans e casaquinhos no estilo bolero, além de manter o corpo aquecido dão aquele charme ao look de inverno.

Quer mais sugestões de como se proteger do frio nas aulas de ballet? Clique aqui e saiba mais!

Collant de gola alta: confira essa tendência cheia de sofisticação

Com a chegada dos períodos mais frios, o collant gola alta passa a marcar presença maior nas aulas e apresentações de ballet.

A gola alta traz estilo, modernidade e sofisticação ao look sem perder a tradicional elegância que exigem as roupas para a prática da dança clássica.

Além do uso para o ballet, a peça é uma das principais tendências da estação, ganhando as ruas no uso casual.

Acompanhe este post e confira um pouco mais sobre como pode ser interessante a escolha de um collant de gola alta!

Sofisticação no ballet

A tradição e o rigor do ballet acabam muitas vezes impedindo que praticantes e profissionais ousem na hora de escolher as roupas para a atividade.

O collant de gola alta é uma alternativa ideal para os dias frios em que você precisa estar vestida de forma adequada, mas se mantendo aquecida.

A gola alta traz muita elegância para o look, algo necessário no ballet. O bônus fica pela escolha do material, que pode ser de um tecido mais quente.

Você mostrará elegância, sofisticação e muito estilo!

Silhueta em evidência

É ótimo quando uma peça de roupa, além de linda, destaca e valoriza nosso corpo, não é mesmo?

O collant de gola alta faz isso muito bem. A extensão no pescoço da peça alonga a silhueta e traz a ilusão de que você é mais alta.

Além da questão estética, o collant de gola alta também auxilia na parte técnica. Assim como as outras peças, ele permite perfeitamente a execução dos movimentos.

Outra questão técnica importante que o collant cumpre é permitir que os professores observem se os movimentos estão sendo executados da maneira correta.

Uso casual do collant gola alta

Já faz tempo que roupas e acessórios de ballet ganharam as ruas. Sapatilhas, acessórios para os cabelos e collants são alguns exemplos.

Logicamente, o collant de gola alta não ficaria de fora. A peça compõe perfeitamente uma série de looks tanto para ocasiões informais quanto para o trabalho.

Nas temperaturas mais baixas, a peça chega às ruas com materiais diferentes dos ideais para a prática do ballet.

Veja algumas maneiras de adotar o collant de gola alta no seu dia a dia:

No trabalho

Use com cores sóbrias. Combine com uma pantacourt de cintura alta ou calça de alfaiataria, podendo ser colorida. Feche o look com um salto elegante.

Em sobreposições

Opção mais descolada e que pode ser utilizada tanto no dia a dia como para ir às aulas de ballet. Use as sobreposições combinando o collant com macacão jeans ou jaquetas (jeans ou militar).

Nos períodos de meia-estação

Se a temperatura ainda não estiver tão baixa, você pode optar pela peça sem mangas. Ela orna bem com saias médias e até mesmo shorts. As estampas também caem muito bem. Nesse caso, balanceie e use a parte de baixo mais básica.

Em looks casuais

O collant listrado é uma ótima pedida. O ar de anos 90 da moda de hoje pede uma combinação com jeans, mas a legging também é uma ótima opção. Nesse caso, um look monocromático é bastante adequado. Se o frio estiver forte, opte pelas sobreposições com jaquetas e sobretudos.

Com acessórios

Caso prefira um collant de cores mais neutras e sem estampas, use colares para dar destaque ao look. Maxicolares são uma ótima pedida e podem elevar o nível do visual. Experimente!

Seja na prática do ballet ou nas ruas, o collant gola alta é uma opção muito sofisticada e elegante. Ficou com vontade de ter um para chamar de seu? Entre em contato conosco e conheça nossas peças!

Saiba como escolher o melhor collant para o seu corpo

As roupas para dança estão incrivelmente ligadas à moda. O mercado possui diversas opções para que dançarinas se sintam mais confortáveis e bonitas durante os treinos de ballet, jazz ou ginástica. Porém, para muitas, ainda é difícil escolher o tipo ideal para as suas características físicas. Nesse post, vamos ajudar você a escolher o melhor collant. Confira!

Tipos de corpo e o melhor collant

Quando se trata da mulher brasileira, algumas características físicas, como quadril mais largo, são proeminentes, mas não são regra. Por isso, nem sempre o collant que se adapta perfeitamente à sua colega de classe terá o mesmo efeito em você. Então, qual o melhor collant para cada tipo de corpo?

Ombros largos e quadril estreito

O tipo de collant ideal para esse corpo é o com decote cano e mais aberto na parte do pescoço, para dar sustentação ao tronco. Um truque para desviar a atenção dos ombros é investir em modelos com mangas curtas ou com detalhes que atraiam os olhares para o colo, como brilho e drapeados. Para “aumentar” os quadris, use modelos com saias mais volumosas ou collants com a linha de perna baixa.

Ombros estreitos e quadril largo

O oposto do exemplo anterior é conhecido como corpo “pera” – devido ao formato parecido com a fruta: parte superior mais estreita e inferior bem mais larga. O melhor collant para uma dançarina com essas características é o de decote mais fechado, de preferência com golas altas ou mangas longas, que dão uma impressão de amplitude nos ombros. Na parte inferior, evite usar saias. Prefira collants mais cavados e com cores que “afinem” o quadril, como a preta.

​Cintura larga ou barriga saliente

Mais comuns em corpos “ovais”, essas características costumam incomodar muitas mulheres, pois muitos modelos acabam evidenciando o que elas desejam esconder. Se esse for o seu caso, evite collants com detalhes, brilhos ou volumes na região da cintura, e opte por modelos com cores neutras e pequenas pregas laterais, importantes para a sustentação da “barriguinha”, durante os movimentos.

Tronco e pernas curtas

Mulheres mais baixas, com tronco e quadril da mesma largura e pernas curtas, , podem optar por collants com a linha de perna alta, decotes em formato de “V” e abertura funda nas costas, que dão a impressão de tronco e pernas maiores.

Busto grande

Bustos grandes chamam atenção por si só, mas em mulheres do tipo “ampulheta”, com cintura mais fina do que o quadril, eles costumam se destacar ainda mais. Além de disfarçar, o collant deve dar sustentação aos seios grandes, de modo a evitar desconforto durante as aulas e dores nas costas, posteriormente. O melhor modelo é o com tiras mais grossas, costas do tipo nadador e corte de perna alto. Evite decotes cavados e tiras finas, que dificilmente suportarão o peso dos seios durante os movimentos.

Existem mulheres com diversos outros tipos de corpo e a Evidence Ballet oferece modelos de collants e acessórios especiais para cada uma delas. Lembre-se de que cada pessoa possui características físicas próprias que as tornam bonitas e únicas. Por isso, antes de escolher o melhor collant para o seu corpo, se preocupe essencialmente com o seu conforto e bem-estar durante as aulas. E o mais importante: divirta-se. A principal função da dança é melhorar a saúde e, principalmente, a autoestima de quem a pratica.

Qual o seu tipo de corpo e como você escolhe a sua roupa para dançar? Compartilhe com a gente nos comentários!