4 dicas que vão te ajudar a aprender coreografias com mais rapidez

No universo da arte, aprender coreografias é tão importante quanto desafiador. Essa habilidade não se desenvolve de uma hora para outra, e as grandes figuras da história do ballet e outras danças sempre trabalharam em cima de técnicas para harmonizar suas performances.

Quando os passos individuais são mais complexos ou a apresentação é feita em equipe, essa característica ganha um destaque ainda maior. Se não fosse o papel da coreografia, o ato de dançar não passaria de uma série de movimentos aleatórios, verdade?

Para criar uma reputação positiva como dançarina e ter sucesso nessa arte, você pode seguir algumas estratégias para assimilar e praticar coreografias. Continue conosco no post e confira, a seguir, 4 dicas capazes de acelerar esse aprendizado!

1. Primeiro, assista

Pode soar contraditório, não é mesmo? Mas pense: alguns detalhes de movimentos são simplesmente indescritíveis, o que quer dizer que o coreógrafo talvez não consiga traduzir em palavras, mas a observação ajuda a assimilar.

Quando uma dançarina assiste à performance de outra, o modo de enxergar a arte é diferente do que a plateia vê, por exemplo. A explicação de cada detalhe em palavras demoraria tempo demais, daí surge a dica número 1: respire atentamente e analise com cuidado os passos de quem está no palco.

Além de espetáculos ao vivo em teatros e casa de show, você, como bailarina, pode tirar proveito de exibições em programas de TV, filmes e competições transmitidas on-line. Tente identificar pequenas técnicas, movimentos e posturas da dançarina, usando essas observações para aprender coreografias.

2. Compreenda a sequência de passos

Como um complemento do tópico anterior, vale enfatizar a importância de fazer a ligação entre cada ação da dançarina. Assim, com o passar do tempo, você desenvolve uma análise mais apurada sobre a sequência de passos.

Essa relação entre o passo anterior e o próximo pode ser feita a partir dos braços erguidos com meia volta do ponteiro de um relógio. Divide-se a coreografia em etapas, fazendo com que cada movimento flua de maneira natural do início ao fim da apresentação.

3. Continue mesmo depois de errar

Durante todo o processo de aprendizagem de coreografias, o erro é absolutamente normal. Afinal de contas, é errando que se aprende. Em meio às aulas, o coreógrafo controla o ritmo e, por vezes, pode ficar difícil de acompanhar.

A busca pela evolução deve ser constante e infinita, mas se cobrar por uma suposta perfeição só atrapalha. Com isso em mente, aceite possíveis falhas em determinados movimentos, focando apenas em melhorar quando voltar a repeti-los. Aproveite os períodos de intervalo para focar nas lacunas.

4. Filme ou faça anotações

A capacidade de continuar sempre melhorando a técnica de dança é o que distingue uma dançarina de sucesso das outras. Nesse sentido, tanto a filmagem quanto a anotação de passos e habilidades ajudam bastante na absorção de aprendizados.

Dá para escrever os passos de determinada coreografia e estudar em casa, facilitando a memorização da sequência, ou gravar o seu próprio desempenho para entender quais aspectos são passíveis de evolução clara. Enumere as etapas e seja objetiva ao analisar, o que também auxilia na eficiência dessa prática.

Para aprender coreografias, conforme observamos no texto, o treinamento é fundamental, desde a teoria até a execução. Uma bailarina de sucesso se destaca também nesses princípios, pois entende a importância do crescimento contínuo, incrementando técnicas e gestos nos mínimos detalhes.

Curtiu o post? Se você é dançarina e sofre com a ansiedade antes de apresentações, confira seis dicas de como controlar esse problema!