Sapatilhas

4curiosidadessobreballetquevocedeveriaconhecer

4 curiosidades sobre ballet que você deveria conhecer

O ballet é uma dança bastante tradicional e praticada em vários lugares do mundo. Ela requer aplicação de técnicas e principalmente leveza nos movimentos para a execução adequada dos passos.

Apesar de ser conhecida e facilmente reconhecida, a dança tem algumas peculiaridades que poucas pessoas conhecem. Continue a leitura deste post para descobrir 4 curiosidades sobre ballet.

História do ballet

O ballet foi criado no século 15 pelos nobres italianos em período renascentista, com o objetivo de promover entretenimento para pessoas da corte em festas aristocráticas. Tratavam-se de espetáculos com enredos teatrais e a disseminação de sua prática se estendeu até a Inglaterra, a Rússia e a França.

Neste último país, sabe-se que o principal motivador foi o casamento entre a nobre italiana Caterina de Medici com o príncipe herdeiro francês Henri II. O gosto pela dança fez com que a aristocrata italiana a levasse para o outro país e incentivasse sua prática em festas e apresentações.

Sua prática atravessou séculos, sofrendo algumas modificações como o maior foco dado à música e à dança, alteração dos trajes usados nas performances, adaptações das sapatilhas, entre outras.

4 curiosidades sobre ballet

Tantos anos de existência fizeram com que o ballet reunisse não apenas uma série de técnicas e passos, mas também algumas curiosidades. Acompanhe a leitura para entender quais são elas.

1. Estilos de tutu

Os tutus são uma das curiosidades sobre ballet. Sim, diferentemente do que algumas pessoas podem pensar, existe mais de um tipo de tutu. Eles se diferenciam em seus formatos, tipo de tecido, comprimento, materiais para apoio, bordados etc. Os tipos são: bandeja (ou prato ou panqueca), sino, balanchine, romântico e tutu de ensaio.

2. Princípios básicos

Como mencionamos, para a execução da dança, é preciso bastante técnica e passos apurados. Alguns dos princípios básicos são: leveza, harmonia, postura ereta, membros inferiores voltados para rotação externa, disciplina, simetria e verticalidade corporal.

3. Benefícios da prática para o corpo

Além do fortalecimento de músculos, principalmente de membros inferiores, e auxílio na flexibilidade, o ballet promove o equilíbrio (especialmente quando consideramos que os bailarinos precisam se equilibrar em sapatilhas de ponta com superfície de contato com o solo medindo cerca de 2,5 cm² apenas). Tudo isso sem contar que pode ser considerado uma atividade física, promovendo bem-estar e auxiliando na manutenção da saúde.

4. Evolução das sapatilhas

Quando o ballet foi criado, por ser uma dança nobre, era executada com sapatos de salto. Isso foi quebrado no século 18 com o primeiro uso de sapatilha sem salto. Somente depois da Revolução Francesa os saltos deixaram de ser um padrão e surgiram as sapatilhas de ponta, com o objetivo de conferir maior leveza para os movimentos das bailarinas.

Conhecer as curiosidades sobre ballet é fundamental para qualquer bailarino. Dessa maneira, é possível compreender melhor a elaboração das vestimentas, a importância do uso de sapatilhas e os processos de criação dos passos. Tais fatores são capazes de aumentar o interesse e a identificação pela dança.

Por falar em interesse, aproveite para entender a história do ballet de forma ainda mais aprofundada!

Moda ballet: como a dança influencia o estilo urbano?

O ballet é fashion. Além de contagiar o público nas apresentações, os figurinos da dança invadiram não só as passarelas, como também o estilo urbano.

Sob a influência da moda ballet, muitas gerações já experimentaram combinações com roupas que sempre tiveram nos armários das bailarinas.

De collants a sapatilhas, a tendência vem ainda mais forte, com vários artigos de vestuário modernos, confortáveis e muito versáteis no dia a dia.

Confira neste post como seguir essa moda e desfilar como uma bailarina urbana!

Como adotar a moda ballet?

Nos últimos desfiles internacionais, vários estilistas trouxeram modelos inspirados na moda ballet, fazendo as coleções se destacarem tanto dentro quanto fora das passarelas. Trata-se de um revezamento entre looks românticos com inspirações modernas, trazendo influências da moda militar, gótica, rocker, além de vários outros estilos.

Glamouroso, delicado e muito feminino, o figurino de ballet se tornou sinônimo de elegância. Dos palcos da dança até o estilo de muitas gerações, combinações com sapatilhas, cetim, collant e tutus sempre estiveram em evidência e agora ganham ainda mais força na moda internacional.

Com criatividade, é possível encaixar combinações que se adéquam tanto no trabalho quanto em festas, sempre sendo uma escolha muito leve e romântica.

Sapatilhas

De cores variadas e muito confortáveis, as sapatilhas ultrapassam gerações e estão nos pés de milhares de mulheres.

Muito utilizadas no dia a dia, são encontradas em modelos chiques, tradicionais ou modernos. As com bico arredondado e laços na ponta estão no auge e mostram o quanto a moda ballet tem se destacado entre as preferências femininas atuais.

Outra tendência que tem feito muito sucesso é a sapatilha de couro, com recortes a laser e solado emborrachado.

Tutus no inverno

Popularizados depois do desfile de outono-inverno 2016/17 da Valentino, os tutus feitos de tule vão ser uma presença marcante no inverno deste ano. Irreverentes, as saias volumosas são perfeitas para quem quer chamar atenção!

Seja nos vestidos, em saias plissadas ou pontos de transparência (como mangas invisíveis em uma blusa), o tule é uma aposta que certamente fará sucesso no estilo urbano em razão da influência da moda ballet.

Tecidos especiais

A seda e o cetim são tecidos que deixam muitas peças com um toque de delicadeza. Você pode investir em combinações pra lá de atraentes, utilizando a criatividade para usá-los de maneira clássica ou mais moderna.

De lingeries a acessórios, os tecidos podem ainda ser usados para prender os cabelos,  valorizando o coque tão característico das bailarinas.

Cores

Os tons mais discretos, como rosa ou bege, estiveram na maior parte dos desfiles dos estilistas que utilizaram a moda ballet para influenciar no estilo urbano deste ano.

Por isso, escolha cores neutras e preto, que sempre faz contrastes com tons mais claros. Inclusive, dá para optar também pelo champanhe, nude e off-white. A variedade de combinações é bem ampla.

E você, já experimentou alguma combinação influenciada pela moda ballet? Tem alguma dúvida? Entre em contato com a gente e fique bem informado sobre tudo o que diz respeito a esse estilo de dança!

 

7 dicas para iniciantes começarem com sua sapatilha de ponta

O sonho de toda bailarina clássica é usar a sapatilha de ponta nas aulas de ballet. Quando o professor autorizar esse passo, é porque você já está apta a alçar voos mais altos.

Antes de começar a explorar todas as possibilidades do acessório, é bom saber o jeito certo de preparar a sapatilha antes da primeira dança. Acompanhe o nosso artigo e veja nossas 7 dicas de como fazer bom uso de sua sapatilha de ponta.

  1. Compre a primeira sapatilha presencialmente

Não deixe de comprar a sua sapatilha pessoalmente. Alguns modelos podem variar de numeração e é preciso certificar-se de que o modelo se fixou corretamente no seu pé.

Se você tiver uma amiga mais experiente que já passou por isso, chame-a para lhe acompanhar. Dê preferência a modelos de qualidade e desconfie das ofertas muito tentadoras. A sapatilha deve durar muito tempo, por isso, não é hora de economizar.

  1. Experimente a sapatilha antes de colocar elásticos e fitas

Antes de mais nada, é preciso costurar o elástico e as fitas na sapatilha. Existe um lugar ideal para que a sapatilha se ajuste anatomicamente aos seus pés.

Marque com um lápis antes de costurar e, após fixar o elástico e as fitas, vista a sapatilha para ver se está tudo no lugar. Corte o excesso para não ter risco de tropeçar.

Um truque para que as amarrações não desfiem é passar esmalte incolor em suas extremidades.

  1. Amoleça a ponta

A ponta da sapatilha, conhecida como box, é composta por junta e cola. Esta parte precisa ser amolecida para se adaptar exatamente ao formato do seu pé. Há algumas formas de fazer isso sem prejudicar o calçado.

  1. Curve a sapatilha com delicadeza

Em seguida, é preciso dobrar a sola na região entre calcanhar e o meio da sapatilha. Muita gente acha que os pés dobram no meio, mas se enganam, e se deixarmos dobrar com a curvatura dos pés ela ficará mole rapidamente.

Primeiro, vista a sapatilha e marque o lugar onde ela deve ser dobrada — é bem embaixo do seu calcanhar. Faça movimentos de flexão para frente e para trás, sempre leves e com delicadeza.

  1. Faça os ajustes finais

Vista a sapatilha e veja se há folga de ar nas laterais. Caso perceba algum desconforto, é preciso diminuir, apertando o elástico.

Faça o test drive, calçando a sapatilha com as fitas e andando em meia ponta por um tempo — o suficiente para perceber se o calçado se ajustou corretamente aos seus pés.

  1. Foque na flexibilidade e no conforto

As sapatilhas devem estar flexíveis e confortáveis. Caso não estejam, repita o procedimento até que se sinta à vontade com elas.

Para finalizar, marque os pés esquerdo e direito, para não ter confusão na hora de colocar e prejudicar seu desempenho.

  1. Observe a dinâmica dos machucados

Mesmo utilizando a sapatilha ideal e do jeito certo, eventualmente, podem aparecer ainda assim bolhas e machucados. Decorrentes da repetição dos exercícios ou mesmo do ajuste dos pés ao novo acessório, as lesões podem ser evitadas com alguns simples cuidados. O uso de ponteiras de silicone ameniza a tensão na ponta dos dedos, protegendo também as unhas. Esparadrapos são muito bem-vindos, principalmente onde há contato da pele com o tecido.

Boa sorte nesta nova etapa e não se esqueça de consultar sempre o (a) seu(a) professor(a) sobre o uso da sapatilha de ponta! Quer saber mais sobre ballet? Assine nossa newsletter  e receba super dicas no seu e-mail.

Como escolher sapatilhas de bailarina?

Saber escolher sapatilhas de ballet é fundamental para evitar dores e lesões e melhorar ,  o desempenho da bailarina nos exercícios. Na verdade, não existem muitos segredos, mas, por se tratar de um tipo de calçado especial, é preciso entender os termos, as diferenças de modelos e os tipos de uso das sapatilhas de bailarina.

Para ajudar quem está com dúvidas, vamos listar as melhores práticas e os pontos essenciais para escolher sapatilhas de bailarina. Antes de falar dos modelos, é interessante passar pelas nomenclaturas, uma vez que algumas são exclusivas das sapatilhas e não são comuns em outros tipos de calçados.

Box

Envolve os dedos e seu objetivo é distribuir o peso da bailarina uniformemente, dando equilíbrio quando estiver utilizando a plataforma. Se não houver esse equilíbrio, os pés podem afundar (pressão insuficiente) ou serem empurrados contra a plataforma (pressão demais). Nessas duas situações, a bailarina pode até sentir dores.

Gáspea

O comprimento dos dedos até o metatarso determina o comprimento da gáspea. Não pode haver folgas, para não dificultar a bailarina subir em cima das pontas; e nem ser curta demais, pois jogará a bailarina para frente, dificultando seu equilíbrio e podendo causar lesões. Uma dica para o tamanho da gáspea é aquela que vai da ponta dos dedos até 1 cm em cima do metatarso.

Pés de bailarina

A última etapa e o que fará com que a praticante de ballet escolha o melhor modelo é o formato de seus pés. Existem pés de três tipos: egípcios, quadrados e gregos, e, de acordo com o seu tipo de pé, você escolherá a melhor plataforma e demais itens de suas sapatilhas, de modo que fique mais confortável e possa fazer os exercícios com maior leveza.

veja 7 dicas incríveis para manter seus pés bem cuidados

 

Os tipos de sapatilha de bailarina

Sapatilhas de meia ponta

Esse tipo de sapatilha é indicado para quem está começando a fazer ballet. Os modelos são mais flexíveis, ideais para quem ainda é iniciante e realiza apenas os exercícios mais básicos ou de introdução ao ballet.

Sapatilhas de ponta

Ao evoluir no ballet e adquirir certa experiência e musculatura adequada, a bailarina estará apta a utilizar as sapatilhas de ponta. Não existe uma idade certa para iniciar o seu uso (o que, por vezes, gera polêmica), e normalmente quem toma a decisão é o(a) professor(a). Esse modelo conta com um Box plana e um reforço extra na palmilha que permite colocar-se em pontas.

Como escolher suas sapatilhas de bailarina

Os fabricantes de sapatilhas entendem bem as diferenças que podem existir nos pés das bailarinas e o que é preciso para acomodá-los corretamente. Tecidos e materiais de fabricação podem ser uma escolha de quem for praticar o ballet, mas o que importa realmente é se sentir confortável durante os exercícios. É preciso que a bailarina sinta o chão normalmente, que seu pé fique acomodado na caixa, que tenha equilíbrio na plataforma, que consiga permanecer nas pontas e, principalmente, que não sinta dores.

É bom lembrar que existem questões pessoais, como a utilização de protetores, separadores de dedos ou enchimentos. Porém, só inclua esses itens se realmente acreditar que vão fazer diferença no seu desempenho, além de manter seus pés firmes e sem risco de lesões.

A escolha das sapatilhas corretas evita os riscos de bolhas e calos. Além disso, ao conseguir o encaixe perfeito com os seus pés, aumenta sua sensibilidade e você consegue praticar o ballet com eficiência.

Caso tenha dúvidas ou dicas sobre como escolher sapatilhas de bailarina, deixe seu comentário e continue acompanhando o nosso blog!

Moda Bailarina: 7 dicas para uma bailarina se vestir bem

Ser bailarina é muito mais do que uma paixão ou uma profissão, é também um modo de vida! E para levar o espírito de bailarina para todas as esferas da vida, nada melhor do que se vestir como uma verdadeira Anna Pavlova dentro e fora da academia. O visual bailarina faz um estilo cheio de delicadeza, combinando com a beleza e leveza que vemos nos palcos. Neste texto vamos dar sugestões de looks com peças de inspiração do mundo do ballet. Acompanhe as nossas dicas incríveis e veja como se vestir como uma bailarina na vida!

Aposte em casaquinhos bolero

Quer peça mais delicada do que os boleros? Muito utilizados em treinos de ballets, eles também são uma ótima opção para fora dos palcos. Podem ser combinados com bodys, leggings e até vestidos leves. Escolha peças de cores lisas e neutras como o branco, preto e offwhite, para ficar mais fácil de combinar e dar um perfil mais atlético. Os modelos transpassados são muito bonitos e deixam a silhueta ainda mais afinada.

Invista em saias rodadas para os dias de festa

As saias de comprimento médio estão super na moda e tem tudo a ver com o look bailarina. Acinturadas, as saias trazem um misto de feminilidade e elegância. Elas possuem certo movimento, dando aquele efeito “tchutchu” no visual. Preste atenção nos tecidos, escolhendo os mais leves para quem quer mais balanço ou mais encorpados para visuais mais elaborados e formais.

Valorize a graciosidade dos pés

Há vários sapatos que remetem ao universo das bailarinas. Um modelo que está em alta são os slippers com amarração em fita no tornozelo. De diversas cores, as sapatilhas trazem tiras largas e finas, em materiais com brilho, transparência, sempre muito femininos. Escolha peças de tons mais escuros, como azul marinho e preto, pois permitem uma série de combinações e dão um tom mais fashion para o look.

Combine decote discreto com peças de tule

As blusas regatas com recortes em tule cor de pele já viraram febre entre as mulheres. A novidade são os modelos que trazem brilhos e pedrarias aplicadas nas janelas. Remetendo aos bodys de apresentação de bailarinas assim como das patinadoras de gelo, essas peças são lindas para acompanhar as saídas mais noturnas.

Use brilho, inclusive nos pés

Outra opção de calçado são as sapatilhas puxadas para o rosa e que possuem brilhos discretos, como strass e pedras pequenas. Escolha modelos mais baixinhos e bastante flexíveis, que remetem às sapatilhas de treino. Os modelos de uma cor só dão mais essa ideia de ser um item de ballet. Eles são ótimos para o dia a dia e para as atividades mais cotidianas, pois são muito confortáveis.

Valorize o tronco com vestidos transpassados

Os vestidos com efeito envelope são ideiais com o público bailarino. Eles dão a mesma impressão do bolero, sendo uma peça muito feminina. Avantajado no decote do busto, eles deixam a silhueta alongada e o colo aparente, trazendo corpo sem ser muito exposto. Para esses modelos, escolha tecidos como viscose, algodão ou malha.

Adapte a moda da academia às ruas

Outras saias que são um must have são aquelas de tecido transparente e leve, como o chiffon, organza e sedas leves. Elas dão um toque de fada ao visual, sendo muito românticas. Combine com um body e uma sobreposição para uma roupa que pode ir da academia ao cinema sem pestanejar. Para quem gosta de abusar do fashion, procure modelos em camadas e assiméticas, elas são demais!

A moda bailarina é pra quem gosta de levar o visual delicado e romântico para passear. E você, sabe de mais peças de inspiração no ballet? Conte pra gente, deixando o seu comentário ao final do post! Confira também 7 dicas incríveis para manter seus pés bem cuidados