sapatilha ballet

Evidence - Banner Blog - Setembro 2018 1

5 razões para ter a sapatilha Pirouette

Acessório da Evidence Ballet une beleza, conforto e alta performance

Desde que o ballet foi inventado, em 1681, as sapatilhas seguem sendo um dos maiores ícones da modalidade. De sapato com salto à sapatilha de ponta, como é conhecida atualmente, o calçado já passou por inúmeras mudanças ao longo do tempo. Hoje padronizadas, já não variam tanto quando o assunto é formato, mas detalhes como tecido, espessura e matéria prima podem diferenciar completamente uma das outras. E, quem dança, sabe que esses grandes detalhes influenciam muito na hora da prática.

 

Seja para dar mais conforto aos pés ou para ajudar na realização de movimentos mais complexos, a Pirouette se destaca. Especializada em produtos voltados para dançarinos e esportistas, a Evidence Ballet tem o modelo como carro-chefe da linha de calçados. Para produzi-la, foram necessários anos de estudo, pesquisas e análises para entender exatamente as necessidades das bailarinas. Por isso, elencamos cinco motivos que farão você se apaixonar por ela. Acompanhe abaixo:

 

(Para entender melhor o que levar em consideração na hora de escolher sua ponta clique aqui)

 

– Durabilidade: Para que saísse do papel, muitos testes de performance e de durabilidade foram feitos. Além disso, a busca por fornecedores com matéria-prima de qualidade foi realizada de maneira rigorosa e meticulosa. Tudo isso para trazer ao mercado um produto de altíssima qualidade e resistência.

 

– Design: Produzida de forma totalmente artesanal, a Pirouette dá uma verdadeira aula de classe e elegância. Com acabamento todo em cetim, o produto pode ser encontrado nas cores rosa salmon e fosca. Como, nesse caso, beleza não é tudo, ela possui fitas elásticas acopladas, o que dá mais sustentação e segurança na hora da dança.

 

– Funcionalidade: Antes de serem disponibilizadas para venda, todas as sapatilhas passam por um esquadro. Isso garante que elas cheguem ao ângulo de 90 graus, ajudando a bailarina a atingir o eixo de apoio ideal.

 

– Resistência:  Pensando em acompanhar a evolução da bailarina em todas as fases, a Evidence Ballet desenvolveu quatro tipos de palmilhas. Para as bailarinas iniciantes, ainda com pouca força nos pés, o modelo ideal é a de baixa resistência (2mm) clique aqui para saber como começar com sua ponta. Já para o público com força intermediária nos pés, as melhores palmilhas são as de resistência média (3mm). As palmilhas de grande resistência (4mm) são mais adequadas para bailarinas mais experientes e que possuem grande força nos pés. E há ainda uma opção de palmilhas com resistência extrema, feitas especialmente para bailarinas que possuem muita força no colo dos pés.

 

– Conforto:Todas as palmilhas (encapadas e almofadadas) são pré-arqueadas e feitas em polipropileno. O material, por ser resistente, impede que elas se quebrem. Isso significa que você pode esquecer aquele receio de quebrar a palmilha no meio da dança.

 

Com diferenciais exclusivos, a Pirouette já é uma das sapatilhas mais elogiadas por profissionais da área. Um calçado que não foi somente pensado para ser atraente aos olhos, mas para ser confortável e, principalmente, funcional. Por isso muitas bailarinas estão substituindo suas antigas ferramentas de trabalho pelo novo modelo da Evidence Ballet.

Você pode saber mais sobre como adquirir a sua Pirouette no site da Evidence.

Ballet infantil: qual a melhor idade para começar?

Do clássico ao contemporâneo, o ballet é uma dança que fascina pessoas de todas as idades. A elegância das bailarinas e os figurinos deslumbrantes chamam a atenção pelo glamour que representam. As crianças, principalmente, se encantam com o universo de fantasia que a dança evoca. E esse encantamento faz com que os pequenos se interessem pelo ballet desde bem novinhos.

Muitos pais ficam na dúvida sobre qual é a melhor idade para iniciar os filhos na dança. Confira, então, algumas informações importantes sobre qual o momento ideal para matricular os pequenos no ballet infantil.

Quais são os benefícios do ballet infantil?

Como toda atividade física, o ballet apresenta inúmeras vantagens para o corpo e para a mente. Dentre os diversos benefícios que a dança traz, os principais são disciplina, postura e ritmo.

As crianças desenvolvem a consciência corporal e trabalham a coordenação motora por meio de exercícios específicos. A continuidade da prática promove o fortalecimento muscular e a melhora na flexibilidade.

MUITOS médicos já reconhecem os benefícios do ballet E O INDICAM para crianças com asma, má postura ou pés chatos.

Quais as principais dificuldades ao se estudar o ballet?

Os collants cor de rosa e as saias rodadas fazem do ballet uma dança muito graciosa. Mas não se engane achando que é uma atividade simples. O ballet exige muito preparo físico e isso significa que deve haver bastante dedicação durante as aulas.

Por causa da dificuldade técnica e a repetição de movimentos, dores musculares e bolhas nos pés são frequentes. As pernas e os pés são os mais demandados durante a atividade. Isso significa que, se forem introduzidas antes do recomendado, as crianças poderão sofrer lesões graves.

Portanto, os pais devem procurar ESCOLAS de dança com profissionais qualificados que vão ministrar aulas de acordo com a faixa etária e com a maturidade física das crianças.

Afinal, qual é a melhor idade para iniciar no ballet infantil?

Hoje em dia existem aulas de dança voltadas para crianças à partir de 2 anos e meio. A Royal Academy of Dance oferece um programa chamado “Dance to Your Own Tune”, em Português: “Dance sua própria melodia”. Este programa de ensino reconhece a importância do movimento para as criancas, visando seu desenvolvimento cognitivo, motor e afetivo .Este foco no movimento não implica a sua superioridade sobre criatividade, expressão e musicalidade mas exemplifica que o movimento é a forma para que esses elementos sejam desenvolvidos .O Ballet propriamente dito é indicado para crianças à partir de sete anos de idade. Com o passar do tempo, ocorrerá o refinamento das habilidades aprendidas e técnicas que exigem maior expertise serão estudadas de acordo com o progresso dos alunos.

É importante destacar que, ao iniciar o ballet infantil, não se deve incentivar o uso de sapatilhas de ponta já nas primeiras aulas. Isso porque é somente por volta dos 11 anos de idade que os pequenos ganham mais força na estrutura dos pés. Por isso, recomenda-se que as sapatilhas de ponta sejam introduzidas a partir dessa idade e para bailarinas com, pelo menos, dois anos de prática na dança.

Apesar da empolgação dos pequenos, muitos pais ficam receosos quanto à iniciação na dança. E não é por acaso. É preciso cautela para tomar uma decisão que poderá transformar totalmente a realidade dos filhos. Mas se feita na hora certa e optando por profissionais qualificados, a introdução ao ballet infantil será um momento de pura alegria para as crianças. E ver os pequenos felizes é tudo que os pais mais desejam.

Gostou das dicas? Se seus filhos já estudam ballet, compartilhe conosco sua experiência aqui nos comentários!