musculos

Dicas para evitar contusão no ballet

A contusão é um acontecimento indesejado e desagradável na vida dos bailarinos. São vários os motivos que podem influenciar as contusões durante a prática de atividades físicas.

 

A lesão ocasionada pelo desporto pode ter ligação com o método de treino incorreto ou anomalias estruturais que forçam mais algumas partes do corpo.  A educadora física, Inês Alice Pedreschi – CREF 077018-G/SP -, listou as causas mais comuns que podem levar a uma contusão:

1 –  Ambientais

As causas ambientais são aquelas características do espaço físico utilizado pelo atleta, como por exemplo, o tipo de piso usado nos estúdios de dança.

2 – Anatômicas

Já as causas anatômicas devem-se as características físicas individuais dos bailarinos.

3 – Biomecânicas

Outra causa comum são as biomecânicas, ou seja, são aqueles provocados por desequilíbrios musculares em torno das articulações.

4 – Treinamento técnico

A falta de prática da atividade física ou um aquecimento inadequado pode ser outro grave motivo para ocasionar lesões.

Com isso, notamos que a prevenção é o principal meio para evitar que problemas simples que aconteçam ou se tornem mais graves. “Um trabalho específico de alongamento, fortalecimento, percepção corporal, podem ajudar os bailarinos na diminuição de lesões, direcionado às diferentes partes do corpo, mas dar maior ênfase aos membros inferiores, em especial à articulação do tornozelo uma das áreas mais prejudicadas”, destaca a educadora física.

Inês também separou três dicas especiais para garantir um alongamento eficiente:

  1.    Fazer alongamento com os músculos frios soma o risco de lesão. O ideal é praticar um pequeno aquecimento, para que os músculos se fiquem mais receptivos para a prática da atividade.

 

  1. Cada alongamento deve durar cerca de 30 segundos. Isso acontece porque os tecidos carecem de tempo para se alongar com segurança. Já nos casos de músculos mais tensos, mantenha o alongamento por pelo menos 60 segundos.

 

  1. Essa dica vale para toda atividade física realizada: respeite seus limites. Forçar o músculo pode trazer dores e tensão.

 

Inês destaca as principais lesões dentro da prática do ballet:

– Fratura por estresse

Uma das principais lesões durante a prática do ballet é a fratura por estresse. Trata-se de uma lesão séria, mas muito comum entre os bailarinos. Para prevenir esse tipo de acontecimento, o ideal é reforçar o alongamento e praticar alguns exercícios de força para melhorar a capacidade muscular.

– Distensão muscular

A distensão muscular deve ser o acontecimento mais popular entre bailarinos, e também a mais fácil de prevenir com um aquecimento adequado. Subir e descer escadas, dar uma corridinha de um ou dois minutos ao redor da sala de aula, ou fazer polichinelos antes de começar a puxar as pernas são ótimas atividades para fortalecer a musculatura.

Já nos casos de lesões no tornozelo e pés, a educadora física explica que exercitar-se é a melhor maneira para fortalecer os músculos das pernas. “Existem várias formas diferentes de treiná-los, isso varia de atleta para atleta, do nível de conforto da pessoa e do equipamento que ela tem à disposição”.

Dança e pilates: entenda os benefícios dessa combinação!

Quem procura por alguma atividade física certamente também busca por sentir-se melhor consigo mesmo, equilibrando corpo e mente. Para sair da rotina e variar os exercícios, é sempre importante combinar mais de uma modalidade que, além de deixar você mais animada por alternar as atividades, ajuda a trabalhar o maior número de músculos do corpo com movimentos diferentes.

Nesse caso, misturar dança e pilates, por exemplo, pode ser uma excelente forma de perder alguns quilos e ainda se divertir com exercícios de fortalecimento.

Atualmente, existem aulas que já mesclam as duas modalidades em uma só sessão, queimando muitas calorias e combinando técnicas de movimento e expressão corporal com exercícios do pilates.

No post de hoje, você verá alguns benefícios que a combinação dessas duas atividades pode trazer para você e ter muitos motivos para começar a se exercitar agora mesmo. Acompanhe!

A combinação entre dança e pilates ajuda a emagrecer

Na aula de Horton Technique, técnica criada em Nova Iorque já disponível no Brasil, é possível queimar até 950 calorias em apenas uma hora. A atividade consiste em unir os princípios da dança e do pilates, trazendo uma sequência de exercícios que trabalham o equilíbrio, a força e também o alongamento, melhorando sua flexibilidade.

Nenhum acessório é utilizado durante a aula. Os exercícios são feitos usando somente o peso do próprio corpo, ativando os músculos e trabalhando a maior parte deles, tornado-se, assim, um exercício completo que ajuda muito na perda de peso com qualidade, já que as calorias são gastas ao mesmo tempo em que a força é trabalhada.

Portanto, o emagrecimento acontece minimizando as chances de deixar aquela flacidez indesejada.

Promove o equilíbrio e a concentração

Quem já pratica a dança sabe que o equilíbrio e a concentração são dois dos principais pontos para conseguir acertar alguns passos e ser preciso nos movimentos mais complexos. O pilates, nesse ponto, pode ajudar muito a conquistar essas virtudes.

O praticante de pilates tem como premissa o foco no movimento. Como as posições exigem equilíbrio, ter concentração total no que se está fazendo é primordial e isso só acontece com a prática. Aos poucos, cada exercício vai exigindo mais e mais concentração e equilíbrio, o que pode ajudar muito na dança e também na vida, já que corpo equilibrado influencia diretamente em uma mente saudável.

Trabalha os músculos

Como você já viu acima, a dança e o pilates são exercícios que se complementam e podem ser muito interessantes para quem deseja dar uma boa esculpida no corpo. No método Xtend Barre são combinados passos de ballet clássico com princípios do pilates.

A aula encanta os apaixonados pela leveza, sincronia e sequência de passos do ballet aliada às técnicas de respiração, concentração e força que o pilates exige. Trabalhando de forma dinâmica, o Xtend Barre trabalha principalmente os glúteos, abdômen e braços, fortalecendo esses músculos e ainda eliminando entre 400 e 500kcal por hora.

A combinação de dança e pilates pode ser uma ótima opção para quem deseja aliar a atividade aeróbica da dança, que traz prazer e leveza com seus movimentos, à força e ao equilíbrio que o pilates propõe.

Dessa forma, os exercícios ajudam você a perder os quilinhos indesejados e ainda trabalha o fortalecimento da musculatura, importante para prevenir doenças futuras nos ossos e fugir da flacidez. Que tal experimentar?

E então, você já fez alguma modalidade que mescla a dança e pilates? Conte como foi sua experiência, deixando o seu comentário!

ballet-fitness-o-segredo-para-o-corpo-dos-seus-sonhos

Ballet Fitness: o segredo para o corpo dos seus sonhos!

Que tal aliar queima de calorias, melhoria da postura e fortalecimento dos músculos em uma mesma aula? E o melhor, com uma boa música dando aquele gás na atividade física. Pois bem, é isso o que promete o Ballet Fitness! A modalidade vem conquistando cada vez mais novos adeptos por conta dos bons resultados, principalmente, na melhoria da qualidade de vida.

Mas, você conhece esta modalidade que reúne conceitos do ballet, pilates e dança? Continue a leitura e descubra!

O que é o Ballet Fitness?

Com aulas que duram, em média, uma hora, o Ballet Fitness intercala os passos do ballet  nas barras e exercícios no solo, como agachamentos, flexões de braços e abdominais, além da utilização de acessórios que contribuem com o ganho de flexibilidade.

A atividade é bem intensa e queima cerca de 750 calorias por aula. Criada pela professora e bailarina Betina Dantas, de São Paulo, a modalidade atua nas repetições dos passos em uma intensidade três vezes maior se comparada a uma aula de ballet tradicional. O foco é sempre no tempo da isometria, por meio da sustentação muscular dos exercícios.

Como funciona?

Geralmente, as aulas de Ballet Fitness são realizadas por meio de circuitos diferenciados, quebrando a monotonia. Os exercícios básicos são feitos em repetições rápidas, enquanto os de agachamento, na meia ponta. Trata-se de um circuito de barra e chão, com a execução dos movimentos mais simples do ballet clássico.

O nível vai aumentando sem pausas e a música dá o tom dos movimentos. Podem ser utilizados pesos em alguns exercícios, mas muitos professores optam em aproveitar o próprio peso dos alunos, como em uma flexão de braços.

Quais os benefícios da prática?

O Ballet Fitness trabalha muito o sistema cardiovascular. Também traz bons resultados no ganho de flexibilidade, definição dos músculos, perda de peso, ajuda na melhora da respiração, postura e também no equilíbrio.

Os músculos ficam mais alongados e o corpo tonificado, com aspecto longilíneo ao contrário de trincado como acontece na musculação ou ginástica localizada. Além disso, a elegância dos movimentos contribuem com o ganho de leveza corporal, sem falar na quebra da monotonia por meio dos exercícios aeróbicos e anaeróbicos em circuitos frequentemente modificados.

As aulas são dinâmicas, o que ajuda na motivação. O bem-estar acaba tendo ainda a companhia das músicas agradáveis que acompanham todo o roteiro do circuito.

Quem pode praticar?

Esta modalidade é indicada  para pessoas que tenham alguma noção de ballet clássico e também condicionamento físico para não se perder nos movimentos. Pessoas com mais de 15 anos já podem se aventurar na atividade, sem contraindicações, desde que a saúde esteja em dia.

No entanto, o mais importante é você procurar uma orientação médica antes de se matricular para ver se está tudo em ordem, pois as aulas exigirão intensidade nos movimentos e também nos batimentos cardíacos.

Com tudo dentro dos seus limites, os ganhos serão extraordinários. Muita gente começou a praticar o Ballet Fitness e não parou mais. Afinal, os benefícios são excelentes e melhoram muitos aspectos do seu corpo e mente.

Agora que você já ficou por dentro do Ballet Fitness, que tal ler o nosso artigo: 9 livros que todo amante do ballet deve ler!