Festival de Dança de Joinville

O que de legal tem para fazer no Festival de Dança de Joinville?

Localizada ao norte do estado de Santa Catarina, a cidade de Joinville é um dos principais destinos turísticos da região, nacionalmente conhecida pela bela arquitetura de estilo colonial e por paisagens deslumbrantes. No entanto, o município é também um importante polo cultural.

Por conta disso, se você é um amante da dança, é muito provável que já tenha ouvido falar sobre um dos maiores eventos do segmento, que ocorre nessa cidade. Mas afinal, o que fazer no festival de dança de Joinville?

Pensando nessa dúvida, preparamos um post com informações sobre o que pode ser feito e visto nesse incrível evento que movimenta a vida cultural de Joinville anualmente, sempre no mês de julho. Acompanhe!

O que é o festival de dança?

Criado no ano de 1983 por Carlos Tafur e Albertina Tuma, respectivamente um professor de ballet e uma artista plástica, o festival de dança de Joinville reúne anualmente mais de 5 mil artistas da área em competições e apresentações inesquecíveis.

Considerado como o maior evento do gênero de todo o mundo, o festival é perfeito para amantes da dança (especialmente do ballet) e da arte em geral, que podem se emocionar com todo o talento demonstrado durante as duas semanas em que ele ocorre.

Além disso, o festival permite que pessoas de diversos lugares entrem em contato com a arte por meio de exposições, cursos e outras atrações interessantíssimas. Quer saber mais? Continue a leitura!

Quais são as principais atrações do festival de dança de Joinville?

O festival não abrange apenas as competições que o fizeram famoso. Além delas, é possível se divertir e se aprofundar ainda mais no mundo da dança, com atrações variadas e que prometem agradar a todos os públicos. Confira algumas a seguir:

Apresentações variadas

Além da Mostra Competitiva, é possível conferir as apresentações de diversos grupos de todo o mundo, que se apresentam em seus respectivos temas de especialidade durante o evento.

Um dos exemplos mais populares é a Mostra de Dança Contemporânea. Além dela, diversos palcos espalhados por todo o perímetro fazem com que a dança seja vista nos quatro cantos do festival, o tempo todo.

Cursos, seminários e workshops

Além de muita dança, o festival abriga diversos cursos e seminários sobre o tema. Eles servem tanto para potenciais dançarinos (como os cursos de ballet infantil e sênior, este destinado aos idosos interessados pela arte) quanto para professores (como é o caso do curso de comunicação e didática).

Outro ponto importante diz respeito ao teor dos cursos. Embora o ballet seja um dos principais focos do evento, é possível encontrar cursos direcionados para outro tipo de dança. Como exemplos, podemos citar o forró, o jazz e o sapateado. Confira algumas das opções:

  • ballet clássico infantil;
  • ballet clássico sênior;
  • técnica de pontas;
  • dança contemporânea;
  • jazz dance;
  • dança flamenca;
  • sapateado;
  • danças urbanas.

Feira da Sapatilha

A feira da Sapatilha ocorre durante todos os dias do evento e, apesar do nome, não envolve apenas os calçados especiais dos dançarinos. Essa mostra abrange variados itens destinados a esse público, além de trazer as novidades mais empolgantes do ramo, que ficam por conta de lojas especializadas no assunto (e que realmente entendem o que os dançarinos procuram).

Um bom exemplo é a Evidence Ballet, que trabalha com coleções anuais baseadas na pesquisa e sempre voltadas a fornecer o melhor material para os dançarinos, profissionais ou em treinamento. Com isso, é fácil perceber que ir às compras durante o Festival de Dança de Joinville é uma ótima maneira de ficar por dentro das novidades e conhecer ótimos produtos.

Além disso, em mais de 2 mil metros quadrados de área útil, a feira abriga palcos com apresentações ao vivo e conta com praças de alimentação para uma pausa para o lanche entre as compras.

E aí, viu só o que fazer no festival de dança de Joinville? Além de conferir o enorme evento e se encantar com o talento de todos os envolvidos, visitar a cidade garante bons passeios e muita diversão!

Ficou interessado? Saiba mais sobre o evento em nosso artigo exclusivo sobre o Festival de Dança de Joinville.

Lançamento Completo no Festival de Dança de Joinville
Lançamento Completo no Festival de Dança de Joinville
161787-conheca-agora-o-festival-de-danca-de-joinville

Conheça agora o Festival de Dança de Joinville

161787-conheca-agora-o-festival-de-danca-de-joinville

O Festival de Dança de Joinville é um dos mais tradicionais do Brasil e é conhecido no mundo todo, não só pelas apresentações de companhias renomadas, mas também pela qualidade dos cursos, workshops, oficinas de dança e debates que levam a compreender melhor a importância desse tipo de arte para a sociedade.

Considerado o maior do Brasil, o festival também entrou no Guiness Book como o maior do mundo em termos de quantidade de pessoas, contando com mais de 4.500 bailarinos e 7 mil participantes. Hoje, você vai saber mais sobre esse evento incrível que promove a arte para o mundo. Confira!

A história do festival

O Festival de Joinville surgiu em 1983 e aconteceu no prédio da Sociedade Harmonia Lyra. Já em seu primeiro ano, o evento dava indícios de que seria um sucesso: foram 40 grupos de dança inscritos, com 600 dançarinos que se dividiram em 5 dias de apresentação.

1991 – o evento começa a crescer

Em 1991, Ana Botafogo e a equipe do Theatro do Rio de Janeiro abriram o espetáculo, que recebeu também grupos internacionais em um ginásio reformado e com capacidade para 2 mil pessoas. Desde então, o festival só cresceu e recebeu importantes companhias e nomes da dança mundiais, como o Ballet Bolshoi, Mikhail Baryshnikov, entre outros.

1992 – Recorde de público

No ano em que completou uma década de apresentação, o festival comemorou também o maior público de todos os tempos: foram 100 mil pessoas que prestigiaram o evento. A atração principal ficou por conta de 24 grupos de dança que se destacaram nas apresentações durante esses 10 anos.

2002 – 20 anos de comemoração

Débora Colker, nome importante da dança que fundiu a modalidade e as artes plásticas, levou sua companhia de dança para abrir o evento. Foram mais de 200 grupos vindos de 14 estados e também do Paraguai para a apresentação.

2003 – eventos especiais

Neste ano, o Festival de Joinville foi marcado por outros acontecimentos especiais: exposição de artes, desfile de moda e exposição de figurinos completaram o sucesso do evento.

2005 – o festival entra para a história mundial

Em 2005, foi concedida ao evento a entrada no Guiness Book como o maior festival de dança do mundo. Hoje, conta com uma média de 6 mil participantes diretos e um público de 200 mil pessoas em 170 horas de espetáculos. Foi também em 2005 que a atração se estendeu por 10 dias, contou com 4.500 dançarinos do mundo todo, 140 grupos de dança profissionais e amadores e um público de 200 mil pessoas.

2012 – calçada da fama

Ao completar 30 anos, o festival inaugura a calçada da fama, espaço para homenagear os grupos e escolas que mais se apresentaram e contribuíram para o sucesso do evento. Ana Botafogo abriu os festejos, onde também foi lançado um livro histórico que conta a história do festival durante as 3 décadas.

2017 – 35 anos de festival

No ano de comemoração, o coreógrafo Marcelo Misailidis criou um espetáculo especial. O evento também recebeu a companhia de Deborah Colker com o espetáculo “Cão sem Plumas”. Nesse ano, a novidade ficou por conta do passaporte cultural, que mostrava os pontos turísticos da cidade.

Mais sobre o Festival de Dança de Joinville

Não é só para assistir às apresentações que o público frequenta esse grande evento. Desde que foi criado, os cursos, oficinas e palestras ficam lotados e é possível assistir aulas de ballet, saber mais sobre a história da dança e ainda aprimorar os conhecimentos na teoria e na prática.

O Festival de Dança de Joinville é um patrimônio de orgulho nacional e que merece ser frequentado tanto por quem ama a dança em suas diversas vertentes, quanto para quem pretende se tornar ou já é um profissional.

E então, quer ficar por dentro sobre tudo do mundo do ballet? Siga-nos no Facebook, Twitter, e Youtube para saber de todas as novidades!