corpo

76031-entenda-ja-a-importancia-da-danca-na-reabilitacao-fisica

Entenda já a importância da dança na reabilitação física

A prática de atividades físicas que auxiliem no desenvolvimento cognitivo é muito indicada para todas as pessoas e, especialmente, para quem sofre de alguma deficiência. Nesses casos, a dança é uma excelente aliada da reabilitação física, proporcionando inúmeros benefícios físicos e psicológicos a quem a pratica.

No post de hoje, você vai conhecer alguns desses ganhos e entender como a dança pode ser tão importante nesse processo de reabilitação. Acompanhe!

1. Desenvolve o senso de socialização

Quem tem alguma deficiência passa por uma série de tratamentos que são, em sua maioria, feitos individualmente. Sessões com psicólogos, fisioterapeutas e fonoaudiólogos são essenciais para o desenvolvimento intelectual e físico, mas dificilmente são feitos em grupo.

A dança estimula o contato social, a integração com outras pessoas, que tenham as mesmas deficiências ou não, e promove, assim, uma socialização necessária para que se sintam parte de um grupo e aprendam com as diferenças.

2. Ajuda no desenvolvimento motor

Os passos de dança e a maneira de executá-los são capazes de melhorar o desenvolvimento motor, promovendo a consciência corporal e dando leveza aos movimentos.

Algumas pessoas com deficiência melhoram muito a coordenação motora com a prática da dança, sendo capazes de desenvolver outras atividades físicas e ser autossuficiente para realizar tarefas do dia a dia.

3. Aumenta a capacidade mental

O desenvolvimento e a memorização das coreografias estimulam o cérebro a aumentar a capacidade da memória para que os passos sejam registrados na cabeça enquanto são apreendidos. Com os treinos, as lembranças da coreografia ficam mais intensas e o cérebro se expande.

A complexidade dos movimentos também estimula o cérebro para as novidades, aguçando ainda mais a capacidade intelectual.

4. Funciona como terapia

Separar uma hora para fazer o que gosta é essencial para esquecer os problemas, certo? Pessoas com deficiência também precisam dessa válvula de escape para que possam se desligar por um momento de qualquer preocupação e curtir um tempo de lazer.

A dança funciona como uma verdadeira terapia, já que o sentimento de superação a cada passo aprendido e a aceitação da turma fazem a pessoa se sentir especial, querida e capaz de realizar cada um dos movimentos ensinados nas aulas.

5. Estimula o corpo

Não é só a mente que é estimulada com a dança. O corpo também apresenta inúmeras diferenças depois que a atividade é incluída na rotina. A perda de peso é um dos sinais mais claros, já que algumas deficiências têm como característica o aumento de peso. Por isso, a prática do exercício é essencial para sua manutenção.

Além disso, a dança proporciona um bom alongamento e fortalecimento de todos os músculos, deixando o corpo mais forte e resistente.

A reabilitação física através da dança é muito indicada para qualquer que seja a deficiência, intelectual ou física. A prática dessa modalidade traz benefícios para a mente e para o corpo, aumentando também a autoestima e a confiança de que é possível realizar uma atividade divertida e muito benéfica para todas as idades.

E você, conhece alguém ou tem uma história de superação que aconteceu através da dança? Deixe seu comentário para nós!

Alimentação de bailarina: o que não pode faltar no cardápio?

Graça, leveza, elegância, boa forma e charme de sobra. Essas são algumas das características mais admiradas nas bailarinas. Mas para manter todos esses adjetivos e ainda garantir boa memória para decorar a coreografia, melhor performance e boa resistência tanto nos ensaios quanto no dia da apresentação da dança, as bailarinas precisam ter muita disciplina em vários aspectos do seu dia a dia, inclusive, na alimentação.

A seguir, confira quais ingredientes não podem faltar em uma alimentação de bailarina:

Carboidratos e cereais integrais

Ambos fornecem energia e saciam por mais tempo. Os cereais integrais ainda garantem maior disposição, pois nutrem o corpo com vitaminas, minerais e proteínas.

Invista em carboidratos e cereais com baixo índice glicêmico, pois eles demoram mais tempo para liberar a glicose no sangue, evitando a fome, a sensação de inchaço e a falta de disposição durante o treino. Consuma-os nas refeições principais, sempre combinando com fibras. São exemplos:

  • Carboidratos: batata-doce, mandioca, inhame e mel;
  • Cereais: arroz, pão e macarrão integrais; aveia, milho, farinha de centeio e quinoa, chia, linhaça e sua farinha, além do farelo de trigo.

Grãos integrais

Por serem ricos em ferro, grãos como feijão, lentilha, grão-de-bico e ervilha ajudam a proteger o sistema imunológico, evitando faltas em ensaios por doenças e garantindo maior disposição para dançar. Eles ainda ajudam na formação de colágeno, proteína responsável pela firmeza dos músculos — evitando a flacidez —, e também pela boa aparência da pele. Além disso, ainda apresentam baixo índice glicêmico! Consuma no almoço e no jantar.

Proteínas

Fornecem energia a longo prazo (para conseguir ficar horas sem comer enquanto treina), ajudam a manter os ossos e músculos fortes, nutrem as células cerebrais e ainda aceleram o metabolismo. São proteínas: carnes, ovos, grãos, leite e derivados. Peixes, filé de frango, de peru ou de lombo de porco são as opções magras.

Consuma uma porção no café da manhã e no almoço, como dois ovos ou um filé; e meia porção no jantar como um ovo ou meio filé de frango desfiado, para não atrapalhar o sono. Procure consumir com fibras.

Laticínios

Leite e seus derivados como iogurte, queijo e requeijão. Dê preferência às opções desnatadas. Esses alimentos são fonte de cálcio e, por isso, deixam os ossos mais fortes, aumentam a absorção de vitamina D, além de serem importantes para a contração muscular. Consuma pela manhã e em um dos lanches (refeições entre o almoço e o jantar).

Gorduras boas

Elas estão presentes em nozes, castanhas, no abacate e no azeite de oliva. Trazem muitos benefícios para bailarinas, como ajudar na digestão, deixar a pele linda e saudável e fornecer energia em pequenas quantidades, que serão usadas no fim de um treino longo.

Seus ácidos graxos essenciais ainda são capazes de ajudar na saúde mental. Lembre-se de que esse alimentos são muito calóricos, então, consuma-os com moderação para não perder a elegância típica das bailarinas. Consuma no café da manhã ou na hora do lanche.

Fibras e alimentos laxantes

As fibras e os laxantes naturais melhoram o funcionamento intestinal, livrando o ventre dos gases que deixam o estômago e a barriga estufados, ou seja: esteticamente desagradável. Imediatamente após consumir muitas fibras é fundamental que você beba mais água para que a fibra consiga cumprir seu papel.

O mamão e o iogurte são os reis dos alimentos laxantes, por isso, não deixe de incluí-los em sua dieta. Já as fibras estão nas verduras e em todos os legumes. Outras excelentes fontes incluem: farelo e gérmen de trigo, farinha de linhaça e chia. Consuma porções de fibras em todas as refeições.

Água e frutas suculentas

Beba cerca de dois litros de água ao longo do dia, inclusive durante as aulas. Então, não esqueça de carregar um squeeze sempre com você. Além de hidratar o corpo ela ajuda a prevenir câimbras.

Para variar um pouco a forma como a água é consumida, aposte em frutas como melancia, melão e abacaxi. Consuma in natura em vez de em sucos, pois é preciso muita quantidade de fruta para render um copo de suco, o que o deixará com muito açúcar das frutas.

Gostou das dicas para uma eficiente alimentação de bailarina? Conte para a gente aqui nos comentários a sua dica preferida!