conforto

Bermudas de moletom: união da tendência e do conforto

O moletom é um tecido associado diretamente ao conforto. Macio, leve e quentinho, é a opção ideal para o inverno ou para dias mais frios. No clima brasileiro, raras vezes podemos usar um conjunto desse tecido, como é popular no exterior, mas uma uma tendência que se adaptou muito bem ao país foram as bermudas de moletom.

Você sabe em que ocasiões usá-las e como combiná-las? Então, continue a leitura e entenda tudo!

Por que usar?

A tendência de roupas esportivas e confortáveis para o dia a dia — chamada de athleisure — teve seu boom em 2016, mas ainda está presente nas vitrines das lojas. Aderindo a esta moda, o moletom perdeu o status de algo que só se usava em casa e passou a fazer sucesso nos looks de famosos como Kanye West, Rihanna, Sabrina Sato e Anitta.

As marcas investiram na tendência e hoje oferecem uma diversidade de produtos, incluindo as bermudas de moletom. Se você ainda não aderiu a essa tendência, não vai querer usar outra coisa depois que comprar. O conforto é inigualável!

Quando e onde usar?

A bermuda de moletom começou a ser usada no inverno, mas hoje está presente em todas as estações. Pode usada de dia ou à noite e é bastante indicada para eventos que começam à tarde e se estendem.

Não vale para situações formais, mas cai muito bem em ambientes casuais ou em saídas básicas, trazendo leveza e estilo.

As básicas e lisas são mais versáteis, podendo ser usadas em diversas situações. Já as que trazem elementos esportivos, como números ou logomarcas, são ideais para a prática de atividade física, passeios no parque ou para o dia a dia.

Como combinar as bermudas de moletom?

Versatilidade é a marca das peça, o que torna as combinações mais fáceis. Mas atente-se para algumas dicas:

Comprimento

Se você é mais baixa, use uma bermuda curta, pois passará a impressão de que é mais alta e cria um clima descolado. Quem usa bermuda com o comprimento abaixo do joelho passa um ar mais esportivo, como o de jogadores de basquete. Mas, se você possui um estilo mais básico e não quer errar, use o comprimento na altura do meio do joelho.

Nas pernas, o tecido deve ficar mais solto, sem marcar o corpo. E tenha cuidado ao colocar objetos nos bolsos, pois como o tecido é leve, a bermuda tende a descer.

Cores

A cor cinza é a mais comum, considerada uma peça coringa. Você pode usá-la durante o dia, em eventos casuais, passeios e viagens. Os tons mais escuros são indicados para saídas à noite. A preta é uma ótima opção e deixa o look mais moderno. Também são fáceis de combinar, podendo usar estampas, texturas e cores mais fortes na parte de cima.

Calçado

Como a bermuda é informal, evite sapatos e dê preferência aos tênis. Os casuais e de basquete, que cobrem boa parte do calcanhar, funcionam muito bem. Na praia ou churrasco com amigos, use um chinelo slide e surpreenda-se com o conforto nas pernas e nos pés.

Combinações

Se a bermuda for lisa, capriche na parte de cima ou nos acessórios, como pulseiras e relógio. Mas se a bermuda tiver estampa, opte por regatas e camisetas lisas. A dica é: se criar um visual mais elaborado em cima, simplifique em baixo, e vice-versa.

Uma combinação que vale para todos é usar a bermuda com uma jaqueta bomber e tênis, não tem erro. Nos dias frios, aproveite para usar tanto a bermuda quanto um casaco de moletom.

Viu o quanto as bermudas de moletom são práticas e versáteis? E combiná-las não é tão difícil, não é mesmo? Basta seguir as dicas deste texto e você desfrutará de estilo e conforto. Aproveite a diversidade de modelos e encontro aquele que seja perfeito para você. Para ficar mais fácil ainda, nós vamos te ajudar nessa escolha!

7 dicas para iniciantes começarem com sua sapatilha de ponta

O sonho de toda bailarina clássica é usar a sapatilha de ponta nas aulas de ballet. Quando o professor autorizar esse passo, é porque você já está apta a alçar voos mais altos.

Antes de começar a explorar todas as possibilidades do acessório, é bom saber o jeito certo de preparar a sapatilha antes da primeira dança. Acompanhe o nosso artigo e veja nossas 7 dicas de como fazer bom uso de sua sapatilha de ponta.

  1. Compre a primeira sapatilha presencialmente

Não deixe de comprar a sua sapatilha pessoalmente. Alguns modelos podem variar de numeração e é preciso certificar-se de que o modelo se fixou corretamente no seu pé.

Se você tiver uma amiga mais experiente que já passou por isso, chame-a para lhe acompanhar. Dê preferência a modelos de qualidade e desconfie das ofertas muito tentadoras. A sapatilha deve durar muito tempo, por isso, não é hora de economizar.

  1. Experimente a sapatilha antes de colocar elásticos e fitas

Antes de mais nada, é preciso costurar o elástico e as fitas na sapatilha. Existe um lugar ideal para que a sapatilha se ajuste anatomicamente aos seus pés.

Marque com um lápis antes de costurar e, após fixar o elástico e as fitas, vista a sapatilha para ver se está tudo no lugar. Corte o excesso para não ter risco de tropeçar.

Um truque para que as amarrações não desfiem é passar esmalte incolor em suas extremidades.

  1. Amoleça a ponta

A ponta da sapatilha, conhecida como box, é composta por junta e cola. Esta parte precisa ser amolecida para se adaptar exatamente ao formato do seu pé. Há algumas formas de fazer isso sem prejudicar o calçado.

  1. Curve a sapatilha com delicadeza

Em seguida, é preciso dobrar a sola na região entre calcanhar e o meio da sapatilha. Muita gente acha que os pés dobram no meio, mas se enganam, e se deixarmos dobrar com a curvatura dos pés ela ficará mole rapidamente.

Primeiro, vista a sapatilha e marque o lugar onde ela deve ser dobrada — é bem embaixo do seu calcanhar. Faça movimentos de flexão para frente e para trás, sempre leves e com delicadeza.

  1. Faça os ajustes finais

Vista a sapatilha e veja se há folga de ar nas laterais. Caso perceba algum desconforto, é preciso diminuir, apertando o elástico.

Faça o test drive, calçando a sapatilha com as fitas e andando em meia ponta por um tempo — o suficiente para perceber se o calçado se ajustou corretamente aos seus pés.

  1. Foque na flexibilidade e no conforto

As sapatilhas devem estar flexíveis e confortáveis. Caso não estejam, repita o procedimento até que se sinta à vontade com elas.

Para finalizar, marque os pés esquerdo e direito, para não ter confusão na hora de colocar e prejudicar seu desempenho.

  1. Observe a dinâmica dos machucados

Mesmo utilizando a sapatilha ideal e do jeito certo, eventualmente, podem aparecer ainda assim bolhas e machucados. Decorrentes da repetição dos exercícios ou mesmo do ajuste dos pés ao novo acessório, as lesões podem ser evitadas com alguns simples cuidados. O uso de ponteiras de silicone ameniza a tensão na ponta dos dedos, protegendo também as unhas. Esparadrapos são muito bem-vindos, principalmente onde há contato da pele com o tecido.

Boa sorte nesta nova etapa e não se esqueça de consultar sempre o (a) seu(a) professor(a) sobre o uso da sapatilha de ponta! Quer saber mais sobre ballet? Assine nossa newsletter  e receba super dicas no seu e-mail.